Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/10/15 às 22h11 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Ação da Semidh no Dia Internacional do Idoso alcança objetivos

COMPARTILHAR

1º de outubro, o Dia Internacional do Idoso, levou muita gente ao Ginásio Regional de Ceilândia

Dia do Idoso


Animado desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira, 1º de outubro, o Dia Internacional do Idoso levou muita gente ao Ginásio Regional de Ceilândia, ao lado do Metrô da Guariroba, para participar de atividades e usufruir de serviços programados e realizados pela Secretaria de Estado de Políticas para a Mulher, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Semidh) e grande número de parceiros públicos e privados.

“Desde que a gente nasce, a gente está envelhecendo, graças a Deus. O importante é que a gente possa envelhecer com qualidade de vida”, disse a secretária da Semidh, Marise Nogueira.

Segundo ela, “é por isso que a gente faz políticas específicas para a pessoa idosa, que respeitem aquilo que a gente necessita e que reconheçam aquilo que a gente construiu ao longo da vida, seja trabalhando dentro de casa, seja trabalhando fora de casa, seja não trabalhando, mas compartilhando com os outros aquilo que a gente aprendeu ao longo da vida”.

Flor amarela

Em Brasília desde 1962, quando chegou com os pais, vinda de Campina Grande, D. Maria das Graças Matias, 62 anos, fez questão de presentear a secretária da Semidh com um arco de cabelo com flor amarela artesanal, simbolizando a flor do ipê, símbolo da Universidade da Maturidade (UMA), que em Brasília funciona no campus da UnB em Ceilândia, também perto do metrô da Guariroba.

Formada em Administração de Empresas, d. Maria das Graças conta que estava adoecendo, após se aposentar na Empresa de Correios e Telégrafos (ECT). “Ficava em casa, só vendo televisão, vendo morte, vendo sangue!”, conta,  até que uma amiga a convidou a participar da primeira turma da UMA, atualmente no segundo semestre do curso programado para um ano e meio.

Criador da capoterapia, o misto de capoeira e terapia made in Ceilândia que desenvolve desde 1998, mestre Gilvan Alves de Andrade é um dos professores de Maria das Graças. Ele vai muito à UMA e ajudou a animar a manhã do Dia Internacional puxando todo mundo para roda de capoterapia, com repertório bem conhecido, como a canção do peixe-vivo e a canção da peneira, que fez todo mundo mexer as “cadeiras”.

Serviços

Sem “peneira” – sem seleção –, só com fila, os muitos parceiros que levaram serviços ao ginásio Regional da Ceilândia, faziam palestras sobre prevenção de acidentes, cortavam cabelo, aferiam pressão, glicemia, distribuíam cartilhas sobre seus serviços, brindes para idosos e crianças e muita água, no carro da Caesb, para peixe-vivo nenhum não morrer por falta de água fria.

A psicóloga Lee Eliete, gerente de educação para a diversidade, da Coordenação de Diversidade (Codiv), na Semidh, fazia atendimento psicossocial, enquanto Conceição Aparecida e Neide Macedo, da Gerência de Unidades Móveis (Geruma), organizavam a demanda na unidade móvel de atendimento à mulher do campo e do cerrado.

Coordenador de promoção dos direitos da pessoa idosa na Semidh, Marcio Valério disse que  o evento alcançou o objetivo de promover a valorização da autonomia e do protagonismo da pessoa idosa na sociedade, por meio da oferta de serviços essenciais e, para isso, conta com diversas parcerias.

Além da Semidh foram responsáveis pela ação a Administração Regional de Ceilândia, as Secretarias de Estado de Educação, de Saúde e de Justiça, a CAESB, o PROCON, a PMDF, o DETRAN, o Corpo de Bombeiros e a Defensoria Pública do DF e da União; a organização não governamental União Planetária também participa da organização; e, entre as entidades privadas parceiras, Movimento Integrado a Saúde Mental (Mismec), Hospital São Francisco.