Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/09/17 às 18h57 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Ações do governo para Outubro Rosa

COMPARTILHAR

Você já deve ter ouvido falar do Outubro Rosa. Esse é o mês em que diversas empresas, governos e instituições realizam ações para conscientizar a respeito do diagnóstico precoce do câncer de mama, que pode ser detectado por meio do autoexame periódico e também pela mamografia.

 

Esse é o segundo tipo de tumor mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres, e é por isso que essa campanha é tão importante.

 

Para marcar o Outubro Rosa, a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh) promoverá 13 atividades em todo o Distrito Federal, de acordo com o calendário abaixo.

As ações começam nesta terça-feira, dia 2, quando os servidores da Sedestmidh usarão rosa durante o expediente.

 

É tradicional também iluminar o Palácio do Buriti e o Congresso Nacional com a cor rosa, a fim de incentivar a luta contra o câncer de mama.

 

O encerramento do Outubro Rosa será marcado com a “Caminhada pela vida”, no Parque da Cidade. No domingo, dia 29 de outubro, a partir das 8 horas da manhã. No ano passado, a caminhada foi realizada no Parque de Águas Claras.

 

Cenário

Existem 1,5  mulheres no Distrito Federal, o que representa 52,13% da população da cidade. A Sedestmidh conta com a Subsecretária de Política para as Mulheres, que tem por objetivo desenvolver políticas públicas de prevenção e combate aos crimes de violência doméstica. Outra função da pasta visa acompanhar o trabalho desenvolvido na rede de atendimento às mulheres do DF e também promover ações de empoderamento.

 

A pasta possui a Casa da Mulher Brasileira (CMB), localizado na 601 Norte, que realiza um atendimento humanizado e integra serviços especializados para os mais diversos tipos de violência, como acolhimento e triagem e apoio psicossocial, jurídico e socioassistencial, bem como oferece cursos profissionalizantes.

 

Outros equipamentos da pasta são os quatros Centro de Atendimento Especializado à Mulher (Ceam), localizados em Planaltina, Ceilândia, Caca da Mulher Brasileira e Estação de Metrô da 102 Sul, que promovem acompanhamento psicológico, assistencial, jurídico e resgate da cidadania para mulheres vítimas de violência ou não vítimas.

 

Há também a Casa Abrigo, que acolhe somente mulheres vítimas e em situação de ameaça. O local é sigiloso para proteger as vítimas de ameaças dos companheiros, maaridos ou pais. Além da moradia, o serviço também presta apoio psicossocial às famílias.

 

Com as mães ou responsáveis meninas de todas as idades e meninos de até 12 anos podem permanecer na Casa.

 

Além dos atendimentos urbanos, a Subsecretaria de Políticas para as Mulheres disponibiliza os serviços itinerários da Unidade Móvel de Atendimento às Mulheres Rurais e do Cerrado. Os locais de orientação psicossocial, saúde e orientações jurídicas são definidos pelo Fórum Permanente das Mulheres do Campo e do Cerrado.

 

Uma parte das orientações psicológicas da rede de proteção à mulher do Distrito Federal foi destinada aos agressores, em uma política pioneira no país, desenvolvida pelos Núcleos de Atendimento a Famílias e aos Autores de Violência Doméstica (NAFAVDs).

Veja o Calendário de ações