Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/04/18 às 19h27 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Administração Regional de Taguatinga – Um Espaço para a mulher vítima de Violência

COMPARTILHAR

 

Taguatinga, está na 83ª posição no ranking mundial das cidades com indicadores, consideráveis de violência doméstica. Neste dia(30/04), o Dia Nacional da Mulher, essa referência estatística pode ficar nos registros passados, a considerar as ações anunciadas pela Administradora Regional da Cidade, Karolyne Guimarães. A jovem advogada de 30 anos, a primeira mulher indicada pelo governador para assumir uma administração regional de Taguatinga- nos últimos sessenta anos- reuniu autoridades do governo de Brasília e de representação da sociedade , para apresentar as mudanças da Administração Regional. Agora, além da Administração da cidade, atuará com ações do Pró vítima da Secretaria de Justiça e Cidadania por orientação da Secretaria de Políticas para Mulheres. O Espaço para a Mulher, hoje inaugurado, transforma as linhas de atuação da Administradora.

 

As paredes pintadas com traços femininos grafitados pelo artista Elon Cordeiro, um jardim de inverno assinado pela paisagista Clara Gonçalves, demonstram o carinho, a atenção à diversidade e criam um clima acolhedor a quem procurar por atendimento após sofrer ameaça ou agressão de violência doméstica. Receberão atenção: a mulher, os filhos com necessidade de apoio psicológico, o encaminhamento para a Rede de Atendimento do GDF e ações cabíveis na área jurídica. Para isso, basta procurar o endereço da Administração Regional, de segunda a sexta, de 8h às 12 e das 14h às 18h. Está localizada próxima da Praça do Relógio em Taguatinga.

 

“As mulheres vítimas de violência, neste espaço aqui, se sentirão muito acolhidas juntamente com seus filhos”, disse a Secretária Adjunta de Políticas para Mulheres, Joana Dárc de Mello, uma grande incentivadora do Projeto.

Ilda Peliz, secretária da Sedestmidh elogiou uma mulher à frente de um posto com esse viés de atendimento social.

” Fui por 22 anos Presidente da Abrace e pude constatar que o homem tem mais dificuldades quando um filho tem uma doença grave como, um câncer ou anemia falciforme e, muitas vezes ele abandona a família. Daí a importância de apoiar a mulher”. E lembrou da “disponibilidade de recursos para empreendedorismo à fim de ajudar no empoderamento da mulher”, sugeriu a secretária Ilda Peliz.

 

“Qualquer mulher que procure empreender pode nos procurar, descobrir seus talentos. Mediante parcerias com serviços sociais, como o Sebrae, serão realizados cursos, palestras e oficinas de empreendedorismo, para que sejam protagonistas de suas histórias”, comentou a Administradora Regional Karolyne Guimarães.

 

A Juíza da Vara da Violência Doméstica, Luciana Lopes, elogiou o” olhar para o segmento de políticas públicas para mulheres”, e disse que,” a construção desse espaço da Mulher foi feita mediante a integração da Rede de Proteção e Atendimento à mulheres, do GDF, após uma reunião no último dia 23 de março, onde um levantamento apontou as necessidades para o enfrentamento da violência com base na Lei Maria da Penha”.
E reforçou que, “a Lei Maria da Penha traz nas suas diretrizes 4 grandes pilares. O Enfrentamento, Prevenção , Garantias de Direitos e Acolhimento da Mulher”.

 

Por: Cláudia Miani