Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/11/12 às 14h20 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Associação em Planaltina-DF capacita mulheres para o mercado de trabalho

COMPARTILHAR

Nesta terça-feira, 20, a secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, Olgamir Amancia Ferreira, participou do encerramento do curso de salgadeira e confeiteira da Associação da Família Cristã de Planaltina-DF. Ela foi convidada para falar às formandas, cerca de 50 mulheres, sobre a condição e a importância do papel da mulher na sociedade. Na ocasião, a secretária também foi homenageada em reconhecimento aos serviços prestados em defesa dos Direitos Humanos.

A Associação da Família Cristã, criada em 1962, tem a finalidade de amparar e promover a família carente. A entidade busca difundir a compreensão do valor do trabalho e das responsabilidades da vida. Para isso, oferece cursos de artesanato, pintura e diversos outros cursos profissionalizantes – todos por meio de trabalhos voluntários. A entidade é mantida pela contribuição das sócias, realização de eventos e doações em geral.

A secretária Olgamir Amancia considera que espaços como este são fundamentais para que as mulheres se reúnam e se capacitem. Segundo ela, a emancipação só acontece quando elas se unem para que, juntas, se empoderem e ganhem autonomia. “Hoje, apesar dos avanços obtidos, a mulher ainda encontra barreiras que tentam impedi-las de conquistar novos horizontes. O machismo ainda se encontra mascarado na sociedade. O trabalho feminino já deixou de ser complemento de renda e se tornou indispensável para garantir a subsistência familiar”, completou.

Após a palestra sobre autonomia e direitos da mulher, Olgamir Amancia visitou as instalações da Associação e pôde conferir de perto a qualidade do trabalho desenvolvido pelas alunas dos cursos ali ministrados. A presidente da Associação da Família Cristã, Imelda de Melo Campos, conta que o trabalho desenvolvido no local ajuda a melhorar a autoestima das mulheres. “Essas mulheres chegam aqui com depressão. A gente ensina um trabalho para elas, uma ocupação. Elas saem de casa, se distraem. Depois, voltam para casa com um ar melhor. Tem gente já comercializando. A entidade tem essa finalidade de profissionalizar de ajudar a tirar essas mães da pobreza, mas através do trabalho dela”, explica.