Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/11/14 às 21h22 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Atendimento nos Nafavd cresce mais de 300% em três anos

COMPARTILHAR

Medida prevista na Lei Maria da Penha busca responsabilizar os agressores e restaurar a paz no lar

naf20Brasília (27/11/2014) – Em 2012, os núcleos de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica (Nafavd), da Secretaria da Mulher do DF, registraram uma média de 40 homens atendidos por mês. Um ano depois, em 2013, esse número subiu para 84, um aumento de mais de 100%. Neste ano, até outubro, a média mensal já atingia a marca de 131, 50% a mais do que no ano passado e mais de 300% em relação a 2012.

A escalada do índice de atendimento nos Nafavd nos últimos três anos foi apresentada nesta quinta-feira (27), à tarde, na abertura do seminário “Desafios no enfrentamento à violência contra as mulheres: trabalhando com homens autores de violência doméstica”, no salão nobre do templo da Legião da Boa Vontade (LBV), na Asa Sul.

O evento é promovido pela Secretaria da Mulher, em parceria com o Departamento Penitenciário do Ministério da Justiça (Depn-MJ), e faz parte das atividades da campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, que segue até o dia 10 de dezembro.

LEI MARIA DA PENHA – Além de atender mulheres e seus filhos e filhas, o programa dos Nafavd faz o acompanhamento de homens envolvidos com a violência doméstica, encaminhados pelo Poder Judiciário. Esse trabalho é previsto na Lei Maria da Penha e em resolução da ONU. Atualmente, há dez núcleos funcionando no DF.

“Os números mostram que estamos no caminho certo, que o trabalho vem dando resultados. Esse atendimento tem uma característica muito peculiar pois contempla toda a família, inclusive os agressores, responsabilizando-os por suas condutas e escolhas e objetivando a restauração da harmonia no lar”, disse a secretária da Mulher, Valesca Leão.

A gerente Maísa Guimarães citou ainda outros dados que mostram o avanço dos serviços prestados pelos Nafavd. Segundo ela, em outubro deste ano, foram atendidos 576 homens, quase 20% a mais do que o registrado no mesmo mês do ano passado, quando foram feitos 492 atendimentos.

Se comparado a outubro de 2012, quando houve o acompanhamento psicossocial de 180 homens, os dados de outubro deste ano representam aumento de mais de 300%. Atualmente, ainda segundo Maísa, há 563 homens na lista de espera para ser atendidos.

naf30PALESTRA – Após a solenidade de abertura, que contou ainda com a presença da secretária adjunta da Mulher, Maria Ivonete do Nascimento, da subsecretária de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, Silvânia Timóteo, do pesquisador Roberto Amado Marinho, do Instituto de Estudos da Religião (Iser), do Rio de Janeiro, e da promotora de Justiça Ana Carolina Marques, do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), a professora Lia Zanotta, da UnB, proferiu palestra sobre “Gênero, masculinidade e violência”.

O seminário prossegue nesta sexta (28) durante todo o dia. Às 8h30, Muna Odeh e Beatriz Montenegro, da Secretaria de Saúde do DF e do Ministério da Saúde, falarão sobre o tema “Dimensão do cuidado e da saúde em homens”. Ainda pela manhã, às 10h, os especialistas Carlos Alberto de Paulo, Judith Santos e Victor Valadares vão abordar “Questão racial, gênero e violência”.

À tarde, a partir das 14h, Ádila Fabiana Leite e Guacira de Oliveira, do Cfemea, vão tratar da “Pedagogia feminista e intervenções psicossociais”. Já às 16h, o pesquisador Roberto Amaro Marinho e a promotora Mariana Távora discutirão o tema “Ampliando olhares: visão dos atores da rede de enfrentamento e algumas experiências europeias”.

O QUE É – O Nafavd é um programa desenvolvido pelo GDF, por meio da Secretaria da Mulher, que faz o acompanhamento psicossocial de famílias inteiras (mulheres, seus filhos e filhas e, inclusive, os homens agressores), envolvidas com violência doméstica.

O objetivo é provocar reflexões sobre as questões de gênero, a comunicação e expressão dos sentimentos, a Lei Maria da Penha, entre outros temas, buscando quebrar o ciclo da violência doméstica.

A campanha dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher é uma ação global que envolve uma série de datas importantes da luta das mulheres. Foi aberta oficialmente no dia 25 e segue até o dia 10 de dezembro. Até lá, estão programadas várias atividades para alertar a população sobre valores como equidade de gênero, respeito às mulheres e emancipação feminina.     

Serviço:

O seminário “Desafios no enfrentamento à violência contra as mulheres: trabalhando com homens autores de violência doméstica” ocorre no salão nobre, do templo da LBV, na 916 Sul, e a entrada é gratuita.

Ascom SEM-DF
3961-1782 e 3425-4779