Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/09/17 às 17h59 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Câmara Legislativa garante vagas terceirizadas para mulheres vítimas de violência

COMPARTILHAR

O presidente da Câmara Legislativa, deputado distrital Joe Valle, e o secretário da pasta de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (#Sedestmidh), Gutemberg Gomes, assinaram hoje (31) um acordo de cooperação técnica que assegura 2% de vagas a mulheres em situação de violência doméstica nos contratos de terceirização da Casa, que envolvem 50 trabalhadores ou mais.

 

 

Mais de cem pessoas prestigiaram o ato de assinatura do acordo, entre elas Ilana Trombka (diretora Geral do Senado), Maurício Correia de Mello (Corregedor-Geral do Ministério Público do Trabalho), Carla Couto (subdefensora geral da Defensoria Pública), deputada distrital Celina Leão (Procuradoria da Mulher da CLDF), Emília Fernandes (Comissão de Mulheres do Mercosul e ex-ministra de Políticas para as Mulheres), bem como servidores e os três secretários adjuntos da Sedestmidh: Marlene Azevedo, Marcia de Alencar e Thiago Jarjour.

 

 

Para o deputado José Valle, o acordo assinado na Sala de Comissões da Casa representa uma solução criativa e conjunta, própria para momentos difíceis, e segue o exemplo do Senado Federal.

O corregedor geral do Ministério Público do Ttabalho, Maurício Mello, foi muito aplaudido ao anunciar que vai propor a mesma medida para o seu local de trabalho.

 

 

Ilana Trombka, criadora da ideia, elogiou a Câmara Legislativa pela adoção da proposta com tanta agilidade. “isso mostra o compromisso da Casa com a luta das mulheres e a cultura de paz”, disse.

 

 

Em seu discurso, Gutemberg Gomes elencou unidades e projetos da Sedestmidh que beneficiam diretamente as mulheres, tais como o Prospera, cursos da Fábrica Social, cursos do Pronatec Mulheres Mil na Casa da Mulher Brasileira e o recém inaugurado Centro Popular de Economia Solidária.

 

 

Segundo Joe Valle, a partir de amanhã (1º/9) as empresas já estarão aptas para realizarem o processo de seleção curricular das mulheres indicadas pela rede de atendimento às mulheres da Sedestmidh. O acordo assinado com o Senado, prevê emprego para até 60 mulheres, até 2022. Já o acordo da CLDF e Sedestmidh vale por tempo indeterminado.