Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/06/13 às 15h56 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Casa Abrigo do Distrito Federal é referência nacional

COMPARTILHAR

A Casa Abrigo do Distrito Federal recebeu nesta terça-feira a visita da psicóloga Djacira Ribeiro Dantas, servidora da Casa Abrigo da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, que veio a Brasília para conhecer o funcionamento do abrigamento que é referência nacional.

“Estou impressionada com a estrutura física e com a qualidade do atendimento prestado aqui. É uma casa bem administrada, com pessoas que realmente estão envolvidas na causa. Tenho a certeza de que é um lugar onde as mulheres têm todo o apoio que precisam para romper com o ciclo da violência”, disse Djacira.

A Casa Abrigo é um espaço de garantia de defesa e proteção de mulheres e adolescentes vítimas de violência doméstica e sexual, que correm risco de morte. Criado em 1993, o local garante a integridade física e psicológica de mulheres e de seus dependentes (meninos de até 12 anos e meninas sem limite de idade), com atendimento interdisciplinar que favorece o resgate da autoestima e a reconstrução da autonomia da mulher.

A secretária Olgamir Amancia acredita que o trabalho desenvolvido no Distrito Federal é modelo para os projetos de outros estados. Ela ressalta a preocupação do Governo do Distrito Federal no que se refere ao atendimento à mulher. “Além de uma pasta específica para propor políticas públicas que promovam a emancipação e autonomia das mulheres, a rede de enfrentamento à violência contra a mulher do DF é muito consolidada. Nossa estrutura foi considerada modelo até pela CPMI da violência contra a mulher, durante as diligências realizadas em outubro de 2012”, lembra a secretária.

Na Casa, mulheres e crianças abrigadas permanecem na instituição por cerca de noventa dias. Durante este período, todos contam com suporte psicopedagógico, que contempla ações que envolvem atividade física para as abrigadas, atividades lúdicas para os filhos e ações de caráter sócio-ocupacional. “Me chamou muita atenção também o espaço que as crianças têm e os serviços que são voltados para elas. Vou levar o que vi aqui para tentarmos fazer algo parecido lá no Rio Grande do Norte”, ressaltou a visitante de Natal.

Há ainda apoio assistencial e jurídico em articulação com outras políticas públicas, principalmente nas áreas de saúde, educação e assistência social, na perspectiva da constituição e consolidação de redes de atendimento.

Necessidades básicas como alimentação, vestimenta, transporte, lazer e segurança também são supridas pelo programa. O encaminhamento das mulheres é realizado pela Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), somente após o registro do boletim de ocorrência contra o familiar agressor. O abrigo é uma possibilidade da mulher que sofre violência se proteger, bem como zelar pela integridade dos seus filhos.

A concepção de abrigamento defendida pela Secretaria atribui à Casa Abrigo uma conotação que rompe com a ideia de um simples esconderijo. O foco da Secretaria da Mulher é tornar o local um espaço onde todas terão a oportunidade de conhecerem melhor os seus direitos e, por meio dos programas de capacitação, terem condições de aprenderem uma profissão e, dessa forma, tornarem-se independentes.

Reuniões, terapias de grupo e oficinas de artesanato são algumas das formas usadas pela equipe de profissionais para promover um trabalho de reinclusão das mulheres na sociedade, com foco na emancipação, autonomia e empoderamento delas, a partir de valores feministas, da garantia de direitos e pleno exercício da cidadania. Os cursos ministrados para as moradoras da casa são realizados por meio de acordos de cooperação técnica com entidades do Distrito Federal.