Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/01/14 às 22h24 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Secretaria amplia rede de assistência feminina

COMPARTILHAR

Centros Especializados de Atendimento à Mulher fazem 2 mil atendimentos em 2013. Em fevereiro, será inaugurada a unidade de Planaltina 

CEAM INTERNABrasília (13/01/2014) – Os Centros Especializados de Atendimento à Mulher (Ceam), unidades da Secretaria da Mulher do Distrito Federal, realizaram em 2013 quase 2 mil atendimentos nas áreas psicológica, jurídica e de assistência social. 

Atualmente, o DF conta com dois Ceam: um na Estação do Metrô da 102 Sul, no Plano Piloto, e outro no SIA, Trecho 2. Juntos, os dois proporcionaram exatos 1.965 atendimentos de janeiro a dezembro. 

No início de fevereiro, será inaugurado o Ceam de Planaltina, no Jardim Roriz. O centro terá capacidade para fazer, inicialmente, cerca de 20 atendimentos diários. 

Além disso, a Secretaria da Mulher deverá abrir ainda este ano mais três outros Ceam – um na Ceilândia, provavelmente em março, mês da mulher; um em Samambaia; e outro no Gama – estes dois últimos com inauguração prevista para o segundo semestre. 

“Em Ceilândia, o prédio encontra-se em fase de reforma. Nas demais cidades, ainda ocorrem negociações para a cessão dos prédios”, informou a secretária da Mulher, Olgamir Amancia. 

Segundo ela, a escolha das cidades não é aleatória. Elas ocupam os primeiros lugares no ranking de casos de violência contra a mulher, conforme os dados da Secretaria de Segurança Pública. 

“Territorializar os Ceam é garantir que as mulheres tenham acesso a um serviço essencial. Também será mais uma oportunidade para que seja construída uma cultura de paz e de equidade de gênero em todo o DF”, argumenta Olgamir Amancia. 

Como funcionam – Os Centros de Especializados de Atendimento à Mulher oferecem acolhimento ao público feminino, independentemente de haver ou não violência doméstica e familiar. “É um espaço destinado a empoderar e a encorajar as mulheres do Distrito Federal pela busca de sua autonomia e emancipação”, sintetiza a gerente do Ceam da 102 Sul, Karla Valente. 

Os centros atendem pessoalmente ou por telefone. No caso presencial, a mulher é atendida em sessões individuais e, quando há necessidade, também é encaminhada para acolhimento em outros órgãos de governo. São realizadas visitas domiciliares, e as mulheres são estimuladas também a participar de reuniões, encontros, rodas de conversa, entre outras atividades. 

As rodas de conversa são realizadas com o intuito de pensar e debater as políticas públicas destinadas a cada segmento específico da população feminina, como foi o caso dos encontros com as mulheres de terreiro, evangélicas, indígenas, idosas, quilombolas e outras. 

O Ceam também tem uma versão itinerante. Nesse caso, servidoras e servidores da Secretaria da Mulher percorrem o Distrito Federal prestando atendimentos e levando informações com o objetivo de conscientizar a população acerca dos direitos da mulher e sobre as formas de enfrentamento à violência doméstica e familiar. Além disso, ocorre um trabalho de prevenção realizado em parceria com as escolas locais. 

 

Carolina Sales
Ascom SEM/DF
(61) 3961-1782 /3425-4779