Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/12/14 às 20h30 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Conselho dos Direitos da Mulher discute de transição

COMPARTILHAR

Conselheiras pedem manutenção da Secretaria da Mulher

conselho1000Brasília (11/12/2014) – Em reunião nesta semana, com representantes da equipe de transição, a direção do Conselho dos Direitos da Mulher do Distrito Federal (CDM-DF) reivindicou a manutenção da Secretaria da Mulher do DF (SEM-DF). Além da presidenta eleita, Olgamir Amancia, participaram do encontro as conselheiras Lúcia Bessa e Dhara Rodrigues, além Helena Teixeira, secretária-executiva do Conselho.

A Olgamir iniciou a reunião falando sobre os avanços do CDM-DF após a criação da Secretaria da Mulher em 2011. “O Conselho passou a ter maior representatividade das entidades feministas de Brasília e deixou de ser um espaço somente assistencialista. Um exemplo disso foi a entrada no CDM das centrais sindicais”, disse a presidenta.

Ela lembrou ainda que, antes, o cargo de presidenta era fixo e reservado à secretária da Mulher e que agora foi eleita pelo colegiado uma representante da sociedade civil.

ESTRUTURA – A presidenta eleita pediu maior estrutura para o funcionamento do colegiado, tanto em termos de pessoal como de espaço físico. Atualmente, o CDM dispõe de apenas dois cargos e uma sala na Secretaria da Mulher. “Como a secretária não é mais a presidenta do Conselho, não teremos mais a mesma facilidade em utilizar os espaços da Secretaria”, afirmou.

Olgamir fez questão de destacar que a Secretaria da Mulher foi criada a partir da luta dos movimentos feministas e que, atualmente, desenvolve programas que são referência para todo o país. Em seguida, entregou oficialmente uma carta reivindicando a manutenção e ampliação da SEM/DF.

Rodrigo Dias, da equipe de transição, admitiu que a Secretaria da Mulher se consolidou como secretaria de Estado, conseguiu desenvolver programas e projetos importantes, dentro da transversalidade necessária, e que é interesse do futuro governo manter o órgão.

A conselheira Dhara disse que a Secretaria de Educação desenvolveu projetos com relação à questão de gênero com o apoio e parceria da SEM/DF. Segundo ela, no próximo ano, todas as escolas do DF deverão receber seis jogos da mulher.

EXEMPLO – Olgamir acrescentou que participou de evento em São Paulo, nesse último fim de semana, e foi informada de que projetos da Secretaria da Mulher, como, por exemplo, o programa GDF fazendo gênero na escola, estão sendo adotadas em outras regiões, como o Rio Grande do Sul. A conselheira Lúcia defendeu avanços na luta pela garantia dos direitos da mulher.

Rodrigo informou que das sete secretarias que estão sendo avaliadas pelo seu grupo de trabalho no governo de transição, as secretarias da Mulher e da Criança têm chances de serem mantidas. A ideia, segundo ele, é que a Secretaria da Criança, além desenvolver ações socioeducativas, tenha o perfil da SEM/DF, ou seja, foque mais em políticas de estado.

Por último, Olgamir informou que no próximo ano será a 4º Conferência dos Direitos da Mulher do Distrito Federal.

Ascom SEM-DF – 3961-1782 e 3425-4779 – com informações de Helena Teixeira, da secretaria-executiva do Conselho dos Direitos da Mulher do DF