Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/10/13 às 11h09 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Corrida da Mulher colore de rosa o Eixão do Lazer

COMPARTILHAR

1,3 mil atletas participaram do evento que alertou para prevenção do câncer de mama

O céu azul, o sol de primavera e o clima de confraternização entre as pessoas marcaram na manhã de domingo (27) a Corrida da Mulher, no Eixão Norte. Incluída este ano na programação da campanha Outubro Rosa, de combate ao câncer de mama, por iniciativa da Secretaria da Mulher, a prova, organizada pela Secretaria de Esporte, contou com a presença de mais de 1,4 mil corredores de rua – a maioria do sexo feminino – que cobriram o eixão de rosa, a cor oficial da campanha e também da camiseta da corrida.

O governador do DF, Agnelo Queiroz, e sua esposa, Ilza Queiroz, deram a largada oficial para os dois percursos – um de 5 km e outro de 10 km – e, também, participaram da corrida. Agnelo considerou “muito feliz” a ideia de associar o esporte à campanha Outubro Rosa. “Brasília está dando um grande exemplo na luta contra o câncer. Oferecemos acesso às mulheres para fazer a mamografia com a Carreta da Mulher e na reconstrução da mama. O DF é único lugar do Brasil que não tem fila”, garantiu ele.

A secretária da Mulher do DF, Olgamir Amancia, que também participou da corrida, disse que unir o esporte à campanha de alerta sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, que é o objetivo do Outubro Rosa, foi uma das formas encontradas pela sua pasta para “chamar a atenção das mulheres sobre a importância de assumirem, cada vez mais, os cuidados preventivos com a saúde, em especial contra o câncer de mama, que, se detectado logo cedo, tem cura”.

Já o secretário de Esporte, Julio César Ribeiro, afirmou que o esporte não poderia ficar de fora de uma campanha tão nobre. Ele (o esporte) é um grande aliado da saúde humana. O câncer de mama é a segunda maior causa de morte entre mulheres no Brasil. Por isso é muito importante que todos se mobilizem em prol dessa ação”, afirmou o Secretário de Esporte.

Joana D'Arc, de 49 anos, que compareceu ao evento, contou que descobriu em 2009 que estava com o câncer e que seria necessário fazer a mastectomia (retirada da glândula mamária). Forte e determinada, não baixou a cabeça, muito menos se entregou à doença, o que foi determinante para a recuperação. Em 2011, ela concluiu o tratamento com a cirurgia de reconstrução mamária. Feliz da vida, ela mandou um recado para quem está passando por essa fase difícil: “Acreditar que vai dar certo e ser guerreira é fundamental para, lá na frente, ser reconhecida como vitoriosa e vencedora. É isso que somos”.

Liliane Moura, de 42 anos, que também enfrentou o câncer de mama, disse que os cuidados preventivos e o apoio que recebeu da família foram fundamentais para a superação da doença. “Realizava meus exames periodicamente de seis em seis meses e, logo que descobri o câncer, realizei o tratamento conforme orientação médica. Em quatro meses, fiz a mastectomia e a reconstrução mamária. Para mim, isso foi o começo de uma nova vida”, afirmou emocionada, ao acrescentar: “Admiro iniciativas como essa corrida, que alertam a sociedade sobre a prevenção do câncer de mama, pois a prevenção é fundamental”.

Evento inédito – Esta foi a primeira Corrida da Mulher no Distrito Federal. O objetivo foi transmitir aos brasilienses a importância da promoção da saúde das mulheres e de toda a sociedade, além de dar visibilidade à campanha Outubro Rosa. A partir de agora, por determinação da Secretaria de Esporte, a prova passa a integrar o calendário oficial de corridas de rua do DF.

Para participar da prova foi necessário doar kit-higiênico (um pacote de absorvente, um creme dental, uma escova de dentes e um sabonete). O material arrecadado foi encaminhado à Rede Feminina de Combate ao Câncer, à ONG Recomeçar, de mulheres mastectomizadas de Brasília, e à Casa Abrigo, que cuida de mulheres vítimas de violência.

Estiveram presentes ainda na corrida os secretários de Promoção da Igualdade Racial, Viridiano Custódio, do Turismo, Luís Otávio Neves, a presidenta da ONG de Mulheres Mastectomizadas Recomeçar, Joana Jeker, dirigentes da Associação de Mulheres Empreendedoras, além de ex-atletas famosas, como Leila do Vôlei e Carmem de Oliveira, primeira mulher a ganhar a Maratona de São Silvestre e hoje coordenadora dos Centros Olímpicos do DF.

Doença – O câncer de mama é a doença que mais mata mulheres no mundo e, segundo números da secretaria de Saúde, foi responsável por 190 mortes no DF em 2012, por isso, a campanha realizada durante todo o mês alertou para a importância do diagnóstico precoce.

“A detecção antecipada é, de fato, o que salva a mulher do câncer”, afirmou a gerente de câncer da secretaria, Cristina Scandiuzzi. Ainda segundo ela, de cada mil exames de mamografia realizados, cinco vidas são salvas. “A importância do exame está justamente nessa estatística”, completou.

Classificação Final –

10km Feminino

1º Lugar – Francisca de Oliveira

2º Lugar – Vânia Maria Gomes da Silva

3º Lugar – Maria de Oliveira Nunes

10km Masculino

1º Lugar – Rener da Silva Lopes

2º Lugar – José Rocha

3º Lugar – Silvestre Costa Santos

ASCOM | SEM-DF

61 3961-1782

Ascom SEM/DF (Cirlene Gábia), com informações da Agência Brasília