Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/08/16 às 19h14 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Creas de Brazlândia realiza ação voltada para pessoas em situação de rua

COMPARTILHAR

“Estou aqui porque preciso de ajuda. Não consigo mais pagar meu aluguel e arcar com as contas da minha casa”, disse Damião Mendes sobre a ação que está sendo realizada durante todo o dia de hoje (24) no Centro de Referência Especializado Assistência Social (Creas) Brazlândia. A iniciativa pretende referenciar cerca de 50 pessoas e famílias que vivem na cidade e estejam em situação de rua ou de extrema vulnerabilidade social nos serviços públicos da Rede Intersetorial.

Seu Damião trabalha na reciclagem e é pai de sete filhos, ele conta que nunca morou na rua, mas já passou por uns bocados, viveu quase a vida inteira de favor na casa dos outros. “Nunca havia vindo em um Creas ou Cras, está é a minha primeira vez. Estou agradecendo a Deus pela iniciativa, pois acredito que agora conseguirei receber o Auxílio Aluguel e melhorar a minha vida e dos meus filhos. ”

Damião ainda não possui cadastro no Cadastro Único, cartão que dá acesso aos benefícios socioassistências fornecidos pelo Governo Federal e Distrital. Esse cadastro é feito no Centro de Referência Assistência Social (Cras), motivo pelo qual participa do evento realizado pela Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh).

A ação envolve outros órgãos e serviços, tais como: Promotoria, a Secretaria de Saúde, com o Saúde da Família e Consultório Rua, Defensoria Pública, Centro de Convivência (Cose), Cras e o Núcleo de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica, Nafavad, que realizou uma palestra acerca da Lei Maria da Penha e dos problemas gerados pela violência doméstica.

A gerente do Creas, Wilma Aparecida, diz que este evento é muito importante para a cidade, pois se observa que em Brazlândia existe muitas pessoas em situação de rua, não que moram na rua. Segundo ela, muitas delas possuem família e viveram grande parte da vida na Região Administrativa, mas agora, por algum motivo estão em vivendo na rua. Existem cerca de 80 pessoas em situação de rua que vivem em Brazlândia.

A iniciativa realizada em alusão ao dia 19 de agosto, Dia Nacional da Luta dos Moradores em Situação de Rua, também visa melhorar as condições de saúde do público alvo; inseri-los no Acompanhamento Familiar do Creas, promover o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, aferir a pressão e glicemia dos presentes. A realização de oficinas lúdicas e educativas também está no cronograma de atividades. O local serviu almoço e lanche aos presentes. 

O morador em situação de rua e vendedor da Revista Traços Kenedy da Silva veio prestigiar o evento, divulgar seu trabalho. Ele mora na Unidade de Acolhimento Areal (Unaf) há três meses, após passar mais de 17 anos na rua, resolveu aceitar a ajuda e aderiu o local enquanto sua moradia. Silva também frequenta o Centro Especializado População em Situação de Rua (Centro POP) de Taguatinga e afirma que a unidade e a Revista são iniciativas iguais casamento, que lhe fizeram muito bem e deram outra quinada em sua vida. Hoje, sonha em poder construir uma cooperativa de moradores de rua, no Centro, para trabalhar na reciclagem de palets, carretéis e móveis, e depois vendê-los para a comunidade.

Outra história de sucesso é a de Maria Geralda, frequentadora do grupo de idosos do Cose Vila há mais de 15 anos. Maria acredita que começou a viver após participar do programa, pois agora ela encontrou uma nova família e amigos. “Consegui superar um trauma que tive aos 11 anos e agora vejo a alegria na vida”, explicou. Os servidores daqui são excelentes e me ajudam muito. “O que mais gosto daqui é o carinho e acolhimento que me oferecem ao chegar”, completou.

 

Por Camila Piacesi