Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/06/14 às 20h44 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Debate sobre questões de gênero nas escolas ganha reforço

COMPARTILHAR

Secretaria irá transferir tecnologia ao Centro Judiciário da Mulher, do TJDFT

Reunião CJMA Secretaria da Mulher, por meio da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres, passou a fazer parte de um grupo de trabalho organizado sob o projeto “Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher nas Escolas de Ceilândia”. A iniciativa faz parte do conjunto que ações que o Centro Judiciário da Mulher em Situação de Violência Doméstica do TJDFT – CJM – está desenvolvendo.

A demanda atende a uma das solicitações do coordenador do projeto, o juiz Ben-Hur Viza. A reunião de alinhamento de como o projeto será desenvolvido aconteceu no fórum de Ceilândia, e contou com a participação da subsecretária de Políticas para as Mulheres, Sandra Di Croce Patricio; da supervisora do CJM, Cristiane Moiroshi; e da coordenadora da Coordenação Regional de Educação de Ceilândia, Simone Cristalino.

“A Secretaria da Mulher irá transferir a tecnologia desenvolvida no órgão para lidar com questões de gênero e direitos da mulher em sala de aula. Levaremos o projeto 'GDF Fazendo Gênero na Escola', aliado ao Jogo da Mulher, ambos com o objetivo de sensibilizar e conscientizar os/as profissionais de educação. O conteúdo será reforçado ainda com as informações fundamentais do CJM”, explica Sandra Di Croce Patricio.

“Apesar da temática da violência contra a mulher ser algo bem antigo, ainda estamos em processo de construção e aprimoramento de soluções. Criar essa melhor comunicação, essa proximidade, é uma via de mão dupla e diminui as burocracias em favor de benefícios para as mulheres”, opina Cristiane.

Também participaram do encontro Kátia Regina Silva, da Secretaria da Mulher; Patrícia Brandão, do TJDFT; Myrian Sartoria, do CJM; e Tânia Maria Macedo Bessa, do TJDFT.

Saiba mais – As secretarias da Mulher e da Educação estão lado a lado promovendo a sensibilização das (os) profissionais das escolas públicas sobre as questões de gênero com o projeto “GDF Fazendo Gênero na Escola”. O desafio é despertar, nas escolas, discussões importantes para a construção de uma educação em gênero com respeito e igualdade entre mulheres e homens.

O projeto também apoia as escolas no cumprimento da norma do Conselho de Educação do Distrito Federal, que definiu os direitos da Mulher e as questões de gênero como conteúdos obrigatórios dos currículos da Educação Básica – uma vitória de mulheres e homens que estão transformando a cultura vigente em relação de respeito e igualdade.

O Centro Judiciário da Mulher, por sua vez, tem entre suas funções a articulação de uma rede de colaboradores, tem como público alvo mulheres vítimas de violência doméstica; famílias em contexto de violência doméstica; instituições públicas e privadas da rede de proteção à mulher vítima de violência doméstica; e universidades que desenvolvam estágios, programas e projetos voltados ao tema.