Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/04/14 às 13h21 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

DF lidera ranking nacional do Disque 180 pela terceira vez

COMPARTILHAR

Mulheres estão mais encorajadas e fortalecidas, diz secretária Valesca Leão

A população feminina do Distrito Federal é, pela terceira vez consecutiva, a que tem mais acesso à Central de Atendimento à Mulher (Disque 180) em todo o País, segundo dados divulgados pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). Pará e Amapá seguem na segunda e terceira posição, respectivamente.

Em números absolutos, houve 15.665 atendimentos registrados. Dentro do ranking nacional, a taxa de registro do DF foi de 1.171,02 por 100 mil mulheres em 2013, de acordo com o Balanço Anual da Central de Atendimento à Mulher – Disque 180. O Disque 180 atingiu 532.711 registros no ano passado, totalizando quase 3,6 milhões de ligações desde que o serviço foi criado em 2005. A violência física representa 54% dos casos relatados e a psicológica, 30%.

Para Valesca Leão, secretária Secretaria da Mulher, o aumento no número de atendimentos registrados mostra que as mulheres estão quebrando paradigmas e criando coragem para denunciar seus agressores. “As brasilienses estão cada vez mais informadas sobre os seus direitos e sobre os serviços de proteção que o governo oferece às mulheres, principalmente. É uma prova de que está havendo uma desnaturalização em relação à violência doméstica e familiar”, destaca.

Acesse aqui os dados completos do Balanço de 2013 do Ligue 180.

Aparatos de proteção e acolhimento – “Somos a unidade da federação mais bem equipada para fazer esse tipo de atendimento, como constatou a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que apurou casos de agressões às mulheres. A certeza de que serão bem acolhidas, de que receberão proteção adequada, estimula as mulheres a registrar a denúncia”, avalia a secretária.

Ela lembra que a Secretaria mantém equipamentos como a Casa Abrigo, que oferece acolhimento às mulheres e suas filhas e filhos; três Centros Especializados da Mulher, que oferecem encaminhamento ao mercado de trabalho e cursos de qualificação; e dez Núcleos de Atendimento às Famílias e aos Autores de Violência Doméstica, que visam à reeducação e responsabilização pelas violências praticadas, favorecendo a construção de alternativas para a resolução de problemas familiares.

Afora isso, a secretaria promove rotineiramente os Mutirões de Informação, Formação e Cidadania que orientam as moradoras das várias cidades do DF sobre os seus direitos e, em especial, a Lei Maria da Penha. “Além de elaborar políticas públicas de equidade de gênero, também levamos informação às mulheres de todos os cantos do DF com os nossos mutirões, as rodas de conversa, o Ônibus da Mulher e os demais eventos”, finaliza a secretária Valesca Leão.

ASCOM SEM-DF
3961-1782 / 3425-4779