Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/11/12 às 15h55 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Feira de artesanato Mulheres de Fibra, em Planaltina, vai até esta sexta-feira

COMPARTILHAR

Nessa terça-feira, 6, a secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, Olgamir Amancia Ferreira, participou da abertura da Feira de Artesanato Sustentável – Mulheres de Fibra, em Planaltina. A abertura aconteceu no hall de entrada da Administração Regional da cidade. O objetivo do evento é fomentar o artesanato utilizando material reciclável e sustentável, assim como estimular as práticas de educação ambiental visando a melhoria de renda e da qualidade de vida das famílias no processo.

A feira é composta por artesãs de vários núcleos rurais e representantes de cooperativas que irão expor e comercializar diversos tipos de itens artesanais. Alunos da rede pública de ensino também participam da feira com apresentações de trabalhos voltados ao tema e elaborados em sala de aula.

Para a secretária da Mulher, Olgamir Amancia, pensar o desenvolvimento sustentável pressupõe pensar em uma sociedade sem exclusão, com oportunidade para todos. “São mulheres da luta cotidiana da área rural. Nós (mulheres), quando construímos algo, nos fazemos presentes no que estamos construindo. O desenvolvimento sustentável caminha na linha da inversão da lógica da sociedade do ter e instituindo a sociedade do ser. Não dá para ficar ninguém fora disso. Nós queremos uma sociedade onde mulheres e homens sejam o centro do desenvolvimento econômico”, disse.

Para essas mulheres, como relata a artesã Idalete, diretora do Instituto Maria do Barro, o artesanato é uma atividade ambientalmente sustentável que gera renda e inclusão social delas na comunidade, por meio da produção e da comercialização de produtos que são feitos com matérias-primas encontradas por elas do próprio meio onde vivem e que representam a cultura e o modo de vida da cidade. “É uma oportunidade única que estamos tento pela primeira vez de estarmos sendo vistas e reconhecidas pelo trabalho que fazemos. É desse trabalho que tiramos o nosso sustento”, observou.

Por Thiago Gomide de Andrade