Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/06/15 às 0h33 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Lançamento dos Jogos Indígenas no Mané Garrincha

COMPARTILHAR

Evento será no Tocantins de 20 de outubro a 1° de novembro

Autoridades nacionais e representantes indígenas de 22 países e de 24 etnias brasileiras reuniram-se no Estádio Nacional Mané Garrincha na noite de terça-feira (23) para lançar a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que ocorrerá em Palmas, no Tocantins, entre 20 de outubro e 1º de novembro.

A presidente da República, Dilma Rousseff, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, a governadora em exercício do Tocantins, Cláudia Lelis, e o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, participaram da cerimônia. “Damos juntos um passo decisivo e torcemos para conseguir completar esse sonho, que é fazer do torneio um grande sucesso”, disse a presidente, durante o lançamento.

Rodrigo Rollemberg brincou que sente uma ponta de inveja de Palmas por receber os jogos que reunirão 2,2 mil indígenas. “Fico muito feliz e honrado com o fato de Brasília abrigar o lançamento de um evento tão importante.” Até quinta-feira (25), o Mané Garrincha também servirá de sede para o congresso técnico do torneio, que discutirá a programação, o regulamento e as modalidades dos jogos.

Durante a cerimônia, apresentada pelo ator Marcos Frota, o bandolinista Hamilton de Holanda tocou o Hino Nacional e a madrinha dos jogos, a cantora Margareth Menezes, interpretou a canção Um Índio, de Caetano Veloso. Alguns dos indígenas presentes no evento mostraram um pouco da arte de suas aldeias, com cantos e uma oração nativa.

A secretária de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Marise Nogueira, também participou do evento. Desde o início do ano, a Secretaria, atendendo a pedido do Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena (ICT), uma das entidades organizadoras dos Jogos, passou a apoiar o encontro preparatório em Brasília.

Participantes

A versão nacional dos jogos ocorre no Brasil desde 1996 e já teve 12 edições. No mundial, são esperados representantes de mais de 20 países, a exemplo da Argentina, do Canadá e do Chile. Cada local poderá inscrever até 50 participantes, sendo que 1,1 mil serão de etnias nacionais e 1,1 mil de internacionais.

Além dos jogos, as 300 mil pessoas que devem passar pela vila onde ocorrerá o torneio acompanharão shows e outras apresentações culturais, como passeios turísticos e feiras de artesanato e gastronomia.

As principais modalidades da competição retratam parte do modo de vida indígena. São disputas como arco e flecha, arremesso de lança, cabo de força e canoagem. Haverá também atividades bem populares, como futebol e natação. Ainda ocorrerão demonstrações de esportes tradicionais, específicos de cada etnia.

Os jogos mundiais são uma iniciativa indígena, realizada por uma parceria entre o governo federal, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o governo do Tocantins e a prefeitura de Palmas.

Ascom Semidh – 3961-1782 – com informações da Agência Brasília