Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/04/13 às 16h01 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Mães e pais de Planaltina recebem orientações sobre a vacina contra o HPV

COMPARTILHAR

Nesta quinta-feira, 18, a secretária de estado da mulher do Distrito Federal, Olgamir Amancia Ferreira, esteve na Escola Classe 8, em Planaltina-DF, para conversar com pais e mães de alunas com idade entre 11 e 13 anos, que podem ser vacinadas contra o HPV no próximo dia 24. O intuito da visita da secretária foi o de conscientizar os pais sobre a importância da vacina para a saúde dessas crianças no futuro. Cerca de 80 pessoas estiveram presentes na atividade.

A campanha de vacinação contra o papiloma vírus (HPV) começou no dia 1º de abril, em meninas que nasceram entre 2000 e 2002, em todas as escolas públicas e particulares do DF. A meta é imunizar de 64 mil estudantes que estão dentro da faixa etária da campanha contra a doença, principal causadora do câncer de colo do útero, que mata cerca de 90 mulheres por ano, só na capital do País.

Na ocasião, a secretária Olgamir explicou aos pais que a vacina contra o HPV é uma ação de Estado de caráter preventivo. Ela ressaltou a importância de ser aplicada antes que a pessoa possa entrar em contato com o HPV, ou seja, antes do início da atividade sexual. “Ela não elimina o vírus de quem já entrou em contato com ele. O que a vacina faz é proteger de forma que pessoa vacinada não venha a sofrer infecção, já que o mais provável é que as pessoas entrem em contato com o vírus quando comecem a vida sexual ativa. Por isso, é preciso vacinar cedo, antes disso, na infância ou na adolescência” reforçou.

Espera-se, como já acontece nos países em que a vacina é aplicada em massa há vários anos, que os casos de câncer de colo de útero e de lesões pré-cancerosas diminuam em 80%, e almeja-se, também, que as verrugas genitais venham a quase desaparecer. “Não é de se esperar uma desaparição rápida dos casos de câncer e nem das verrugas genitais, já que vacinação está começando agora. Também não se pode esperar que daqui a 15 ou 20 anos não exista mais nenhum câncer de colo no DF, já que ainda 'sobram' alguns outros vírus, que a vacina não abarca”, esclareceu Olgamir Amancia.

A aposentada Luzia da Silva foi à escola para ter mais informações sobre a vacina para a neta dela, que tem 11 anos. Ao final da palestra, Luzia saiu mais esclarecida e se diz mais segura para imunizar a neta. “É muito importante tirar todas as dúvidas, esclarecer todos os pontos acerca do processo como um todo. Quando se trata da saúde da gente, nesse caso da minha neta, é fundamental aderirmos à campanha”, avaliou.

Para garantir a efetividade da vacina, é necessária a aplicação de três doses, com intervalo de 60 e 180 dias após a primeira dose. O calendário de vacinação foi organizado de acordo com o calendário escolar, das escolas públicas e privadas, respeitando o período das férias. A primeira dose será aplicada até o dia 26 de abril; a segunda, de 3 a 28 de junho; e a terceira de 30 de setembro a 1º de novembro.