Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/06/13 às 16h20 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Mais espaços de poder conquistados por mulheres

COMPARTILHAR

Olgamir Amancia, secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, e Valesca Leão, secretária-adjunta do órgão, foram convidadas para prestigiarem, na tarde de ontem (19), a posse da deputada federal Jô Moraes (PCdoB/MG) como coordenadora da Bancada Feminina da Câmara dos Deputados. A solenidade ocorreu na Comissão de Constituição e Justiça e reuniu diversas autoridades e lideranças feministas.

Para a secretária de Estado, a posse representa possibilidades concretas de materializar outros avanços para as mulheres. “A luta das mulheres pela ocupação de mais espaços de poder é coletiva. Esta coordenação representa mais um ambiente que as mulheres conseguem arrancar em um universo onde somos absolutamente minorizadas; as mulheres representam menos de 9% do total de parlamentares”, destacou Olgamir Amancia.

Ela ainda lembrou que a deputada Jô Moraes possui uma história de vida marcada pela luta da emancipação das mulheres, o que agrega um valor inquestionável ao trabalho a ser desempenhado pela parlamentar. “Não é só uma questão de ter uma mulher; é ter uma coordenação dirigida por uma mulher que tem uma história em sintonia com o debate que nós apresentamos; uma porta-voz das nossas necessidades”, frisou a secretária.

Olgamir Amancia ainda lembrou que a Secretaria da Mulher possui uma relação muito próxima com o Congresso Nacional, como a realização, em 2012, da campanha do Outubro Rosa; e, mais recentemente, com o lançamento da Procuradoria da Mulher do Senado Federal – na ocasião, foi realizado um seminário que contou com a participação de diversas lideranças femininas, vereadoras e prefeitas e teve a SEM-DF como participante desta articulação e uma das palestrantes acerca de políticas públicas de inclusão de gênero e enfrentamento à violência.

“Com a conquista da coordenação, com a deputada Jô Moraes, a tendência é que essas articulações que já vinham acontecendo, sejam ampliadas. O desafio é trazer para dentro da Casa o debate das mulheres do Distrito Federal, que são responsáveis por dar voz à luta das mulheres de todo o Brasil”, concluiu Olgamir Amancia.

A posse – Ao abrir os trabalhos, o presidente da CCJ, deputado Décio Lima (PT/SC) disse que estava ali para prestar uma homenagem às mulheres que deram sua impressão digital à Constituição Cidadã e as inúmeras outras que constroem a história das mulheres e do Brasil.

“A Coordenadoria será um ventre aberto para colher os gritos das ruas. O empoderamento feminino, a ampliação de nossa presença nas comissões, na relatoria das MPs, nas missões diplomáticas e nas diversas instâncias de poder será nossa luta diária, intensificada. Nosso compromisso é o de lutar pela equidade, paridade e proporcionalidade de gênero e com qualidade. Este é um ato em defesa dos direitos Constitucionais da Mulher”, disse a deputada Jô Moraes.

Ex-coordenadora da Bancada Feminina, que passou a função para Jô Moraes, a deputada Janete Pietá (PT/SP) fez uma ampla retrospectiva do trabalho e das lutas a serem enfrentadas pelas mulheres para avançar nas conquistas pela igualdade. Para ela, esta iniciativa “tem de se estender para toda a América Latina, de forma conjunta unificada, forte. Pois nossas bandeiras são muito iguais”, disse. Mas no âmbito da representação política o Brasil está atrás, com 8,7% enquanto a média na América Latina é de 30% de representantes femininas nos parlamentos.

Além de apresentar os eixos e os principais programas destinadas às mulheres, a ministra interina da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Lourdes Bandeira, reafirmou o compromisso do trabalho em parceria com a Bancada Feminina da Câmara. Ela elencou várias ações que a bancada tem participado em apoio à pasta, nos estados e até fora do Brasil, além do trabalho específico de mulheres.

Também tomaram posse como coordenadoras adjuntas da Coordenadora da Bancada Feminina as deputadas Erika Kokay (PT/DF), Flávia Morais (PDT/GO)e Rosane Ferreira (PV/PR).

Com informações da jornalista Graça Borges