Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/10/16 às 12h54 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Mês da Consciência Negra no DF

COMPARTILHAR

Atividades começam no dia 1º de novembro, às 10h, com ato e palestras no Palácio do Buriti.

O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, rememora e exulta a resistência pela morte do líder Quilombola Zumbi dos Palmares no século XVII.

O Brasil é uma nação marcada por práticas racistas e discriminatórias que justificaram e organizaram as relações sociais, de trabalho e o modo de produção – baseado no uso da mão de obra escravizada negra africana – promovendo a racialização entre indivíduos e coletividades.

Passados 126 anos da Abolição da Escravatura, a população afro-brasileira ainda não detém as mesmas condições de dignidade humana e acesso a bens e serviços públicos e privados que as demais populações não-negras, sobretudo a branca, evidenciando não apenas o racismo nas relações interpessoais, mas também o racismo institucional das organizações públicas e instituições privadas no trato com o público negro.

Em 10 de novembro de 2011, após mais de 30 anos de resgate histórico promovidos pelos movimentos negros brasileiros, a Lei 12.519/2011 oficializou o Dia da Consciência Negra.

Além de exultar a memória do maior líder quilombola da história do Brasil, a nacionalização do 20 de novembro visa um ideal de respeito e valorização das culturas e populações negras ainda tão discriminadas no Brasil, e assume o compromisso do Estado com a redução das desigualdades raciais no país.

Neste sentido, torna-se cada vez mais comum a realização de eventos culturais e educacionais acerca dos temas relacionados a negritude nos meses de novembro.

Com vistas à celebração do Mês da Consciência Negra por parte do Governo de Brasília, a Subsecretaria de Igualdade Racial da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos propõe a realização de atividades formativas e culturais para a população do Distrito Federal, assim como apoia a realização de atividades promovidas por órgãos parceiros e pela sociedade civil.

Desta forma, as atividades e palestrantes incentivam as falas e trajetórias de profissionais, acadêmicos e personalidades afrodescendentes do Distrito Federal, com vistas à consolidação da representação positiva da população negra, assim como de seu protagonismo.