Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/03/18 às 15h17 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Mulheres integrantes de Secretarias de Estado discutiram a relação do cidadão com a água

COMPARTILHAR

As Mulheres uniram ações  de governo na proteção da água, durante o Fórum Mundial da Água.

Durante três dias, representates de secretarias de estado voltadas à Políticas para Mulheres, Recursos Sistêmicos e Agendas de  Biodiversidade e Recursos Naturais da Subsecretaria do Meio Ambiente, deram as mãos para encaminhar as discussões voltadas não somente à Qualidade da Água mas também, sobre a Produção de Água.

 

As oficinas iniciadas na última terça-feira, (20) debateram o Papel do Cidadão na Proteção da Água; As Últimas Descobertas Científicas, o Aspecto da Água como Ser Vivo, e a Água como Essência da Natureza.

A mulher tem um papel agregador e multiplicador dessas ações, como foi colocado por  Conceição Nascimento, Coordenadora de Políticas para Mulheres, da Secretaria Adjunta de Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos . “A mulher é protagonista desse trabalho, pois agrega em torno de sí  a comunidade em que vive, os filhos, a família e os movem na sensibilização para que evitem o desperdício, adotem os cuidados para o racionamento da água, da energia, da seleção correta do lixo”.

 

Nazaré Soares, subsecretária de Serviços Ecossistêmicos da Secretaria  de Estado do Meio Ambiente elogiou a Agenda criada pelo Governador Rollemberg que permitiu,  uma nova abordagem pela primeira vez neste Fórum, em Brasília.

 

” A relação do homem com a água, como essência da natureza, ela precisa mudar. Não pode ser vista somente como um recurso hídrico em sí. Temos de garantir água para todos,  envolve também  uma discussão da economia, mas não é só uma  questâo  de negócio. Nós vamos ter de abdicar de alguns negócios’ .

 

A Fundação de Amparo à Pesquisas  soltou um edital  para novas pesquisas com relação a água e algumas já estão em andamento e  há um incentivo à  Produção.

 

“O principal foco é na produção da água  porque atualmente  já existem muitas linhas de pesquisa voltadas à qualidade. Daí  o incentivo `a  pesquisa nessa linha de estudos, pois Brasília oferece 100% de atendimento de  saneamento  nas cidades satélites. Oferecemos  qualidade mas, estamos em uma localização do Planalto Central onde não há grande concentração  de água por isso,  investir na produção é muito importante. E essas pesquisas estão trazendo novas técnicas, novas  metodologias para melhorar a produção de água, concluiu Nazaré Soares.

 

Por Claudia Miani.