Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/09/12 às 11h36 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Mulheres que fizeram história no País serão entronadas no Panteão da Pátria

COMPARTILHAR

A secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, Olgamir Amancia, participa hoje, 4, às 17h, da cerimônia de reinauguração do Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves. Localizado na Praça dos Três Poderes, o monumento foi inaugurado oficialmente no dia 7 de setembro de 1986 e representa um memorial erguido para homenagear aqueles que se destacaram em prol da Pátria Brasileira.

A cerimônia também promoverá a entronização de novos heróis e heroínas. Anita Garibaldi e Anna Nery serão as primeiras mulheres a serem entronadas. Nascida em 1814, a baiana Anna Justina Ferreira Nery entrou para a história como precursora da Enfermagem no Brasil e uma das heroínas da Guerra do Paraguai. Ana Maria de Jesus Ribeiro da Silva, também conhecida como Anita Garibaldi, foi a combativa esposa do herói italiano Giuseppe Garibaldi.

O nome de Anita Garibaldi foi incluído no Panteão por sugestão da ex-senadora Serys Slhessarenko (PT-MT). O responsável pela indicação da enfermeira Anna Nery foi o ex-deputado Elomar Damasceno (Prona-SP). Seus nomes constarão no Livro de Aço dos Heróis Nacionais.

A secretária Olgamir Amancia parabeniza o os governos Federal e do Distrito Federal pela justa homenagem que será proferida às duas mulheres que fizeram história no Brasil. “Incluir os nomes dessas duas mulheres no livro, significa fazer uma releitura da história do Brasil contada a partir do protagonismo de duas mulheres que dedicaram suas vidas em prol do Brasil e pela emancipação do povo”, explica Amancia.

O monumento – O autor do projeto arquitetônico é Oscar Niemeyer que optou por uma linha modernista, que simbolizasse uma pomba. No interior, são três pavimentos, com cerca de 2.100m2 de área construída. O projeto do Panteão foi concebido durante a comoção nacional com a morte de Tancredo Neves, logo após ter sido eleito democraticamente – ainda que indiretamente – presidente da República, após duas décadas de regime militar.

Em 2007, o Pantão foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), incluindo o Mural da Liberdade de Athos Bulcão, o vitral de Marianne Peretti e o Painel da Inconfidência mineira de João Câmara Filho.

Curiosidades:

• Sua pedra fundamental foi lançada pelo presidente da França, François Mitterrand, em 15 de outubro de 1985;
• Os nomes dos homenageados constam no “Livro de Aço”, também chamado “Livro dos Heróis da Pátria”, o qual lhes confere o status de “herói nacional”.