Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/10/13 às 22h41 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

No primeiro dia, Ônibus da Mulher faz mais de 20 atendimentos

COMPARTILHAR

Unidade móvel percorrerá áreas rurais para dar assistência a vítimas de violência doméstica

DSCF4533editBrasília (09/10/2013) – Moradoras do Núcleo Rural de Tabatinga, em Planaltina, puderam usufruir nesta quarta-feira (9) de serviços até então pouco acessíveis para elas: atendimentos psicológico, social e jurídico. Tudo isso foi proporcionado pelo Ônibus da Mulher, um projeto da Secretaria da Mulher do DF, em parceria com o governo federal.

O Ônibus da Mulher é uma unidade móvel para atender o público feminino em situação de violência nas áreas rurais. O atendimento, que começou nesta quarta, é feito no interior dos ônibus por técnicos da Secretaria da Mulher, em compartimentos que oferecem total privacidade. A cada caso, eles dão um encaminhamento.

Nesse primeiro dia, mais de vinte mulheres da comunidade compareceram ao local onde o ônibus está estacionado, em frente à gerência da Emater. Boa parte delas queria apenas informações sobre os serviços, mas algumas requisitaram um atendimento mais especializado. Após Tabatinga, onde fica até esta quinta (10), o ônibus segue para outras localidades rurais do DF (veja abaixo).

INDO AONDE O POVO ESTÁ – “Estamos invertendo a ordem: em vez de as pessoas irem ao Estado, é o Estado que está indo até as pessoas, para oferecer os seus serviços”, afirmou a secretária da Mulher do DF, Olgamir Amancia, durante rápido evento na abertura dos trabalhos. “Com esse serviço, o GDF está dando dignidade às mulheres. Somos a maioria da população e não podemos ser tratadas de forma diferente”, disse a secretária.

A primeira-dama do DF, Ilza Queiroz, fez questão de acompanhar a abertura dos trabalhos. “Esse projeto é importante porque, além de combater a violência, prestigia a mulher do campo, lhe dá mais respeito. O ônibus fortalece o nosso trabalho em defesa dos direitos da mulher”, afirmou.

DSCF4504editA diretora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do DF, Vanda Rodrigues Corsa, mostrou-se exultante com a iniciativa. “A área rural está sendo contemplada com um serviço que até então era restrito às áreas urbanas. E são as mulheres do campo as que mais sofrem com violência”, disse ela.

Segundo Vanda, pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) indica que 53% das mulheres que vivem no campo sofrem violência física de seus maridos, companheiros ou namorados. E 65% são vítimas de violência psicológica.

MUDANÇA DE CULTURA – Já Maria Estela Barbosa Barreto, presidente da Associação de Produtores e Artesãos de Barra Alta (Aproalta), que fica na região de Tabatinga, afirmou que a passagem do Ônibus da Mulher pelas comunidades pode contribuir para mudar a cultura machista no campo.

“Agora, com o ônibus circulando pelas áreas rurais, chegando mais perto da gente, as mulheres não vão mais ficar caladas diante da agressão dos maridos, dos companheiros. Vão denunciar. O tempo do silêncio acabou”, disse ela.

DSCF4543editA professora aposentada Maria Gorete Fonseca, da diretoria da Mulher da Aproalta, lembrou que as mulheres do campo, além de trabalhar na lavoura, têm que administrar a casa, cuidar dos filhos, já que os homens nunca assumem essas tarefas.

“Imagina uma mulher morando na zona rural, trabalhando na roça e em casa e com um monte de filhos, como é que ela vai ter tempo de ir à cidade para fazer uma denúncia? Não tem como. Agora, com o ônibus vindo à nossa porta, a situação muda”, disse ela.

SAIBA MAIS – As unidades móveis fazem parte do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e se somam ao programa “Mulher, Viver sem Violência”, do governo federal. O ônibus foi a forma mais eficiente e barata encontrada pelo governo para ir até às comunidades mais distantes e carentes e oferecer atendimento de qualidade às vítimas de violência doméstica.

Além do apoio psicológico, social, jurídico e assistência em geral, as pessoas podem enconrar nas unidades móveis cartilhas da Lei Maria da Penha com orientações sobre cada tipo de agressão às mulheres – física, sexual, moral, psicológica e patrimonial.

O Distrito Federal recebeu dois ônibus da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). A gestão de logística e itinerário dos ônibus, assim como dos serviços de atendimento, são de responsabilidade da Secretaria da Mulher do DF.

Serviço:

O Ônibus da Mulher fica até esta quinta (10), no Núcleo Rural de Tabatinga, em Planaltina, na frente da gerência da Emater. O atendimento vai das 10h às 16h. Para os próximos dias, está prevista a passagem do ônibus pelas comunidades de Rio Preto, Núcleo Rural de Pipiripau e Jardim Morumbi, em Planaltina; e Assentamento Gabriela, Maranata, Rodeador e Curralinho, em Brazlândia. A data e hora serão divuladas logo que haja confirmação.

Ascom SEM-DF
3961-1782