Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/02/13 às 20h17 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Olgamir Amancia inaugura curso de Mecânica para Mulheres

COMPARTILHAR

Nessa segunda-feira, 18, a secretária de Estado da Mulher, Olgamir Amancia Ferreira, realizou a aula inaugural da primeira turma de 2013 do curso “Mecânica para Mulheres”, oferecido pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF). O objetivo do curso é atender mulheres habilitadas com interesse em aprofundar os conhecimentos sobre o funcionamento dos veículos de duas e quatro rodas.

Com 16 alunas matriculadas, o curso terá duração de cinco dias, com carga horária de 20 horas/aula. No curso são abordados os temas relações interpessoais, prevenções de acidentes e noções básicas de mecânica de veículos, como os principais componentes do veículo, funcionamento e os procedimentos técnicos recomendados para uma manutenção preventiva eficiente. Traz, ainda, uma série de dicas para que a motorista utilize o carro da melhor forma e com a máxima segurança. O diferencial deste curso é abordar o assunto de forma simplificada e prática, fácil e acessível mesmo para quem não tem conhecimento sobre a área.

Olgamir Amancia lembrou que ainda é recorrente na sociedade o espanto ao se deparar com mulheres em funções que, predominantemente e culturalmente, são atribuídas aos homens. “Não podemos permitir que as mulheres sejam excluídas de algumas áreas profissionais só porque isso é uma convenção cultural da sociedade. Esse curso, além de oferecer conhecimento para saber identificar um problema em seu veículo, contribuirá, de forma significativa, para promover a sua emancipação e autonomia”, explicou às alunas.

A secretária destacou ainda que o curso significa um pequeno passo para uma caminhada ainda maior: a presença das mulheres nos espaços públicos de decisão e poder e sua participação política, enfrenta a concepção histórica e ideológica de que o espaço da mulher é majoritariamente a esfera do privado e da reprodução. A participação das mulheres nos espaços institucionais, apesar de significativa, restringe-se, em sua maioria, a cargos de poder intermediários. “Elegemos a primeira presidenta da história do país, mas ainda estamos numa posição muito ruim nos espaços de poder”, lembrou.