Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/04/13 às 18h58 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Prospera Mulher apresenta os primeiros resultados

COMPARTILHAR

A alegria da empresária Jussara Martins demonstra a importância do crédito assistido na vida de uma empreendedora individual. Ela foi uma das 197 pessoas contempladas no programa de microcrédito da Secretaria de Trabalho, o Prospera. “Consegui uma carta de crédito por meio do Prospera Mulher. Com esses juros baixos, pude investir e ampliar meus negócios. É a segunda vez que pego e não vou parar mais”, declarou.

Em mais um evento de entrega de cartas de créditos, os empreendedores participaram de duas palestras, a primeira sobre educação financeira, ministrada pelo subsecretário de Microcrédito, Max Coelho. A outra foi sobre direitos da mulher, políticas públicas para as mulheres do DF e Entorno e violência patrimonial, apresentadas pela coordenadora da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres da SEM-DF, Cláudia Afonso.

Os números do programa Prospera são impressionantes: somente no primeiro trimestre deste ano foram emprestados mais de R$ 1 milhão para  197 empreendedoras (es), que empregam, em média, três pessoas por empresa. As mulheres representam 70% do contingente de beneficiadas (os) e a inadimplência é de, apenas, 5%.

Saiba mais – A articulação da SEM-DF acerca do Prospera Mulher começou em junho 2012, durante uma oficina realizada com a Setrab, a Organização Mundial do Trabalho (OIT) e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). Esta articulação proposta pela pasta tinha como objetivo atender uma das resoluções da Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres que visa garantir o acesso ao crédito e à capacitação técnica e financeira de mulheres empreendedoras, urbanas e rurais, com especial atenção às micro e pequenas empreendedoras, individuais e coletivas, com garantia e acesso à previdência social como direito universal.

“O Prospera Mulher é um programa de microcrédito orientado para as mulheres que já são, por ousadia, empreendedoras e que, se tiverem as condições adequadas, serão capazes de dar uma guinada em seus negócios, em suas vidas”, revela Olgamir Amancia, secretária de Estado da Mulher. O programa conta com a parceria do BRB e, entre outras vantagens, oferece taxa de juros de 0,54% ao mês, além da orientação gerencial.

A subsecretária de Políticas para as Mulheres da SEM-DF, Sandra Di Croce Patricio, lembra que o programa não foi pautado apenas na dimensão econômica. “Precisamos que as mulheres, além do acesso à renda e à educação financeira, por exemplo, também compreendam a realidade em que elas vivem e a desigualdade que está posta. Para isso, oferecemos condições para que todas tenham pleno conhecimento acerca dos seus direitos, de modo que enfrentem as adversidades que surgirem”, esclarece a subsecretária.

Sandra Patricio explica que as mulheres contempladas recebem, juntamente com a carta de crédito, materiais informativos acerca da rede de atendimento à mulher no Distrito Federal, das políticas públicas desenvolvidas em prol do universo feminino e uma cartilha sobre a Lei Maria da Penha. “Ambientes que mantêm relação direta com a autonomia econômica e financeira, como é o caso do Prospera Mulher, são espaços para tornar visível a violência patrimonial, uma das causas que pode levar a sucumbir na sua caminhada rumo à emancipação”, acredita.

A violência patrimonial, segundo a Lei Maria da Penha, é entendida como qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades.