Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/11/15 às 15h37 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Rede de Proteção a idosos se reúne

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos participou na tarde de ontem, dia 26 de novembro, do Encontro da Rede de Proteção à Pessoa Idosa, realizado na 307 N, sede da União Planetária, onde funciona o Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Pessoa Idosa (NEVPI), resultado de um convênio firmado entre a União Planetária (UP) e Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

“A gente tem interesse e uma relação muito bola com essa dinâmica de formação de redes”, disse o subsecretário de direitos humanos, Coracy Coêlho, que defendeu que a formulação da política pública deve ser feita com a participação da sociedade civil. “Ninguém melhor do que aquele que recebe a política como usuário para dizer como essa política deve acontecer”, enfatizou.

A ideia da rede é reunir sociedade civil e governo para criar estratégias e dar início a atividades que possam formar e informar a sociedade acerca dos direitos da pessoa idosa, disse Danúzia da Rocha de Paula, do NEPVI . O presidente do Conselho de Idosos, Francisco Wiechert, assistente social da obra social Santa Isabel de Brazlândia, chamou a atenção para a importância para a importância da educação para as relações intergeracionais, para que “o idoso possa ser visto como sujeito precioso”.

Cerca de cinquenta pessoas, ligadas órgãos do Estado e a iniciativas de atendimento e trabalho com idosos com pareceram à convocação do NEPVI, vindas de Planaltina, Sobradinho, Samambaia, Ceilândia, Taguatinga, Cidade Estrutural, Samambaia, Brazlândia, Asa Sul e da Asa Norte. A drª. Carla Núbia falou sobre o mapa da violência contra a pessoa idosa elaborado pela Central Jurídica do Idoso. Na conversa estimula pela fala, muitas pessoas se manifestarem sobre coisas que “não andam” ou, na prática, não acontecem “como manda o figurino”.

Há muitos anos na luta, D. Francisca, de Ceilândia, queixou-se enfaticamente da falta de cumprimento do Estatuto do Idoso, lembrando que não deve ser por desconhecimento, pois “todo mundo fez – no sentido de imprimir – Estatuto”. Com amargura, narrou uma situação passada num ônibus, quando após pedir licença para sentar, por ser idosa, o rapaz lhe perguntou a idade que ela tinha. Ao responder, ela ouviu: – Então, a senhora já sentou tempo demais.

“Precisamos trabalhar com o idoso e com quem trabalho com o idoso”, disse Maria Diva Araújo Azevedo, que veio de Planaltina. Integrante da associação Força de Vida, ano passado, após fazer uma oficina de teatro, ela se animou a encenar a peça “Em busca de um CCI”, fazendo um papel de vilã, inspirada nas pedras do caminho que precisam ser afastadas para criar um Centro de Convivência do Idoso. “Quase fui apedrejada”, brincou.

Os integrantes da coordenação de pessoas idosas da Secretaria estimularam as pessoas a definir atividades, durante as rodas de trabalho, para a semana de valorização da pessoa idosa, realizada entre 5 e 10 de dezembro. Entre atividades já programadas, estão a Matinê da Maturidade, no dia 7; um Passeio ao Zoológico, no dia 9; e uma roda de capoterapia, com Mestre Gilvan, no dia 10.