Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/05/14 às 20h11 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Rede Mulher Artesã beneficia moradoras de Sobradinho

COMPARTILHAR

Penúltimo encontro de economia feminista e solidária foi concorrido. O último será no dia 31

encontro 200A Secretaria da Mulher do DF promoveu nesta quinta (22), em Sobradinho, mais um encontro de economia feminista e solidária. Foi o décimo-sexto e penúltimo encontro da série que ocorre desde 2012 nas cidades e é a porta de entrada para o projeto Selo Rede Mulher, que apoia artesãs do DF. O último evento está marcado para o dia 31 na Torre de TV, no Plano Piloto.


Durante o encontro, as mulheres tiveram a oportunidade de expor cinco peças de seus trabalhos para montagem de um catálogo virtual, que será disponibilizado no site da Secretaria da Mulher. O catálogo faz parte da segunda fase do projeto, que será iniciada após a conclusão dos encontros.

Além disso, as artesãs tiveram a oportunidade de conhecer outras artemanualistas e de formarem grupos sem burocracia. Elas aproveitaram ainda para obter esclarecimentos e informações com os parceiros do projeto, presentes em stands no local.

Hellen Barbosa, 42 anos, participou pela primeira vez do projeto. Ela soube do evento por meio de um carro de som e aprovou a iniciativa. “Achei muito organizado e informativo. Trabalho com artesanato há aproximadamente um ano e recomendo para todas mulheres, porque além de tudo é uma terapia”, afirmou.

Luciene Macedo, 37 anos, tem afinidade com artesanato desde os 12, mas só há dois anos começou a se profissionalizar e comercializar seus produtos, principalmente as encadernações, sua especialidade. “O artesanato ainda não é muito valorizado no Brasil, e é muito caro participar de exposições. Por isso que projetos como o Selo Rede Mulher são ótimas oportunidades para nós. Meu objetivo é conseguir viver apenas do artesanato”, declarou ela.

A representante do Fórum de Economia Solidária, Rosimeire Mello Pereira, acredita que eventos como esse são importantes para o fortalecimento e empoderamento das artesãs. “O melhor desse projeto é a valorização como mulher e profissional, pois oferece a visibilidade que o trabalho delas precisam”, acrescentou.

Já a representante do Instituto Federal Brasília (IFB), Sylvana Santos, disse que é importante para o Instituto montar stand no evento. Segundo ela, muitas mulheres não tem conhecimento sobre o IFB e sobre os cursos gratuitos que ele oferece.

“A maioria das mulheres não conhece o IFB. Aproveitamos essa oportunidade para mostrar a variedade de cursos que elas podem fazer. Também fazemos um mapeamento de atividades que elas praticam para montagem de futuros cursos, inclusive na área artesanal”, explicou ela.

O que é – O projeto Selo Rede Mulher é uma realização da Secretaria da Mulher em parceria com as secretarias de Trabalho, Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária, Cultura, Turismo e as Administrações Regionais.

Conta ainda com o apoio do IFB, BRB, Emater-DF, Rede de Bancos Comunitários do DF, Sebrae, Associação Comercial, Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW), Cáritas Brasileira, Fórum de Economia Solidária do DF e Rede de Economia Solidária e Feminista.

 

O projeto é um instrumento de articulação do Programa Rede Mulher Artesã sob a perspectiva do comércio justo e solidário, cujo objetivo é certificar e empoderar 50 grupos com material publicitário, catálogo e inserção na rede de comércio justo e solidário no DF.

 

Na prática, a economia feminista aponta para a necessidade de visibilização, reconhecimento e valorização do trabalho das mulheres, destacando os trabalhos artesanais e manuais, os quais são quase sempre produzidos no ambiente doméstico.

 

Diante disso, o Selo Rede Mulher contribui para estimular o empreendedorismo e o cooperativismo feminino, efetivar canais permanentes de divulgação e ajudar a escoar a produção artesanal, entre outras coisas.

 

Suélen Emerick
Ascom SEM-DF
3961-1782 e 3245-4779