Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/09/19 às 18h36 - Atualizado em 24/04/20 às 18h37

Reunião internacional terá participação de representante da Secretaria da Mulher

COMPARTILHAR

A gestora de políticas públicas Isabel Cristina Ribeiro representará a Secretaria da Mulher no evento | Foto: SM/Divulgação

 

A Secretaria da Mulher (SM) estará representada pela psicóloga Isabel Cristina Ribeiro na Segunda Reunião do Grupo Técnico Subsidiário sobre a Prevenção da Delinquência, da Violência e da Insegurança, evento que se realiza na quarta e na quinta-feiras (3 e 4) na cidade de Tela, em Honduras, promovido pela Organização dos Estados Americanos (OEA). A viagem de Isabel, que é gestora de políticas públicas da SM e participa como convidada, não terá ônus para o DF.

 

A psicóloga apresentará um debate sobre o tema “Atenção a famílias e autores da violência doméstica”, que faz parte da reunião “Mulheres, paz e segurança nas Américas”. O objetivo da reunião é aprofundar as discussões sobre a prevenção da violência contra a mulher e a participação da mulher no setor de segurança e justiça, além de discutir a situação das mulheres em privação de liberdade.

 

Núcleos de atendimento

Durante o evento, Isabel vai compartilhar o trabalho realizado pelas unidades do Núcleo de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica (Nafavd) do Distrito Federal. Os núcleos, que atuam com acompanhamento psicossocial de mulheres e homens envolvidos em situações de violência doméstica, são referência para todo o Brasil. As ações são desenvolvidas em articulação com a Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e a demais serviços de acompanhamento ofertados pelo GDF.

 

Os núcleos desenvolvem intervenções interdisciplinares a partir de perspectivas feministas de gênero e direitos humanos. Visam propiciar espaços de escuta, reflexão e empoderamento de mulheres em situação de violência doméstica e familiar e também realizar trabalho de responsabilização, reeducação e reflexão com autores/as de violência doméstica.

 

*Débora Cruz, com edição da Agência Brasília