Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/09/12 às 19h58 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Secretaria da Mulher promove bate-papo com idosas de Ceilândia

COMPARTILHAR

Aproximadamente 25 pessoas participaram da atividade, realizada durante a tarde de ontem

Ontem, 25, a Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal (SEM-DF), por meio da Subsecretaria de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, realizou uma Roda de Conversa com idosas e idosos moradores de Ceilândia. O encontro aconteceu no auditório da Administração Regional de Ceilândia e teve como foco a questão do enfrentamento à violência contra a mulher idosa.

A subsecretária Silvânia Matilde comandou a roda, juntamente com a delegada-adjunta da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), Ângela Maria dos Santos; e com a subsecretária de Valorização da Pessoa Idosa, da Secretaria Especial do Idoso do DF, Lídia Pinheiro de Sá.

O objetivo do evento era reunir a comunidade idosa para debater diversos assuntos, apresentar os serviços do Governo do Distrito Federal e indicar as formas de acesso a esses instrumentos. Este trabalho da Secretaria da Mulher visa integrar ações com os demais órgãos a fim de melhorar o atendimento do Estado à população nos devidos temas. A dinâmica da atividade se deu com uma apresentação de cada um dos órgãos envolvidos e depois, os participantes tiveram a oportunidade de expor os problemas e necessidades, recebendo, assim, as devidas orientações e encaminhamentos.

Para a subsecretária de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, Silvânia Matilde, é importante divulgar as políticas públicas de combate à violência contra a mulher idosa. “Elas têm que saber que o Governo do Distrito Federal dispõe de instrumentos de apoio a elas e que existem políticas públicas que as amparam”, explicou.

Segundo dados, de 2011, da Defensoria Pública do Distrito Federal, as mulheres idosas são as que mais sofrem agressões, sendo 67,4% do total de 336 casos registrados. A exploração financeira, ou violência patrimonial, é o terceiro maior número de casos, com 30% do total.

Indicadores – De acordo com a Pesquisa Socioeconômica em Territórios de Vulnerabilidade Social no Distrito Federal, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em fevereiro de 2011, o Índice de Vulnerabilidade Social identificado na Região Administrativa de Ceilândia foi de 55%, variando entre 41% no setor QNN a 74% no setor Chácara. Os principais grupos de família vulnerável que compuseram o índice da RA foram o Grupo II (Família com renda familiar per capita inferior a um quarto de salário mínimo) e Grupo IV (Família na qual há uma mulher chefe, sem cônjuge, analfabeta e com filhos menores de 15 anos) e Grupo VII (Família na qual há uma pessoa com 4 a 14 anos que não estude), mas isso varia muito conforme o território analisado.

Nesta RA, residem cerca de 450 mil pessoas, sendo que o maior contingente se encontra no setor QNP (quase 121 mil pessoas). Quanto ao sexo, as mulheres representam 52% da população da RA, sendo mais expressiva no setor O, onde são 59% dos residentes. Estima?se que haja cerca de 103 mil crianças, quase 38 mil idosos. Cerca de metade da população dessa RA tem entre 21 e 60 anos incompletos, mas nos extremos da distribuição ? crianças e idosos ? destaca?se o setor O, com 14% de crianças até 6 anos e 16% de idosos. Com relação à posição na família, verifica?se uma grande concentração de pessoas que se declaram filho (43%) e chefe (28%).