Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/04/14 às 1h55 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Olgamir Amancia presta contas de sua gestão

COMPARTILHAR

Primeira secretária da Mulher do DF desincompatibilizou do cargo neste mês

balanço20Brasília (03/04/2011) – A secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, Olgamir Amancia, fez, nesta quinta-feira (3), à tarde, no auditório do Memorial JK, uma rápida prestação de contas dos seus três anos e três meses à frente da gestão da pasta. Olgamir se desincompatibiliza do cargo nesta sexta-feira (4).

Primeira secretária da Mulher em toda a história do DF (antes de sua posse, em 2011, não havia Secretaria da Mulher), ela falou para o conjunto dos servidores do órgão, que a ajudaram a concretizar os muitos programas, projetos e ações promovidos nesse curto espaço de tempo.

A secretária lembrou os primeiros passos dados na estruturação da Secretaria, que começou com 15 servidores e sem orçamento próprio, e agora conta com praticamente 200 funcionários e recursos orçamentários geridos de forma autônoma, por meio da Subsecretaria de Administração Geral (SUAG).

Dentre as realizações, ela citou a ampliação da rede equipamentos da Secretaria, com a inauguração de dois centros de atendimento especializados à mulher (Ceam) – antes, existia apenas um – e a abertura de mais uma unidade dos núcleos de atendimento à família e autores de violência (Nafavd), que agora são dez.

Destacou investimentos na Casa Abrigo que permitiram a transferência da unidade para um novo lugar, mais amplo e arborizado, e a adoção de um atendimento multidisciplinar, com psicólogos, especialistas em direito, agentes sociais e qualificação profissional, capaz de proporcionar às abrigadas a superação mais rápida da situação de violência. Hoje, a Casa Abrigo do DF é considerada exemplo para o Brasil.

A secretária listou ainda programas de incentivo à autonomia feminina, entre eles o Rede Mulher Artesã e o Prospera Mulher, que dão condições para as mulheres crescerem por meio de seu próprio trabalho, e projetos de educação e informação, como o GDF Fazendo Gênero na Escola, que leva o ensino dos direitos femininos para a sala de aula. Neste último, o DF é pioneiro no País.

Olgamir fez questão de mencionar as várias campanhas realizadas pela Secretaria na área da saúde da mulher, como o Outubro Rosa (câncer de mama), o Março Lilás (câncer do colo do útero) e a de vacinação do HPV para meninas entre 11 e 13 anos  nesta o DF também foi pioneiro. “Ações como essas são decisivas para a saúde e o bem estar de todas”, frisou. 

Ela salientou, também, a campanha do assédio sexual nos ônibus. Recém-lançada, a iniciativa já ganhou o reconhecimento da população, não só pelo caráter educativo e civilizatório, mas pela força de sua mensagem, que diz “Assédio sexual nos ônibus é crime. Ligue 190 e denuncie”, alertando as mulheres a chamar a polícia quando sofrerem esse tipo de agressão.

Por fim, a secretária assinalou a mais recente conquista: a publicação, na semana passada, do decreto do governador Agnelo Queiroz que permite às mulheres descerem do ônibus, no período noturno, fora da parada. A medida, que dá às usuárias do transporte coletivo o direito de desembarcar mais perto de casa, ficando, assim, menos expostas à violência das ruas, foi sugerida pela Secretaria da Mulher.

Antes de encerrar o discurso, a secretária agradeceu o esforço e o compromisso de todas e todos os servidores que a auxiliaram durante os três anos de gestão. “Tudo o que fizemos, todas essas iniciativas, todas essas realizações, que certamente melhoraram a vida das mulheres do DF, só foram possíveis porque pude contar com o empenho de vocês”, concluiu. 

Ascom SEM/DF
3961-1782 e 3425-4779