Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/06/16 às 13h31 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

SEDESTMIDH comemora o Dia Nacional dos Ciganos com festa

COMPARTILHAR

O evento contou com almoço, apresentações de dança e música típica cigana. Além do Ônibus da Mulher


“Não tenho palavras para demostrar meu agradecimento para a Secretaria,” disse o presidente administrativo da Associação Nacional das Etnias Ciganas (ANEC), Wanderley da Rocha, durante a 1ª Festa Brasília Cigana. O evento aconteceu no sábado (18/6), no acampamento Nova Canaã e foi apoiado pela Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh) em homenagem ao Dia Nacional do Ciganos, que é comemorado no dia 24 de maio. 

A festa contou com um almoço feito pelas mulheres que vivem no acampamento da etnia Calon e apresentações que remetem à cultura deles, como as danças dos grupos: Deusas da Lua (dança cigana artística), Paixão Cigana e o grupo infantil Alegria Cigana e os grupos musicais: Cigano e Ciganito, Luan Calon e Charleson. 

O Ônibus da Mulher também foi prestigiar a celebração junto com a oficina de alimentação saudável, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e o Projeto Mala do Livro, da Secretaria de Cultura (Secult). A subsecretária de Políticas para as Mulheres Lúcia Bessa conversou com a comunidade sobre a Lei Maria da Penha e as formas de evitar e denunciar a violência doméstica. Na ocasião, foi entregue a cartilha sobre a Lei para todas as mulheres presentes. 

A cigana Nardi Casanova mora em Curitiba e veio à Brasília para participar do evento. Ela acredita que foi muito importante à presença do Ônibus para as ciganas, porque essa ação leva a conscientização e a prevenção para a etnia. Para Wanderley a importância do evento vai além da comemoração ao dia deles. “Esse trabalho que está sendo feito aqui está buscando trazer para o acampamento politicas públicas, pois várias autoridades estão participando do encontro”, disse. 

A etnia Calon, em 500 anos de história, são os primeiros ciganos do Brasil a serem assentados. A terra é da União e foi destinada para uso deles ao final de 2014. “Agora só estamos aguardando a infraestrutura no local”, completou Wanderley. A festa visava também à arrecadação de fundos para a construção de um banheiro para o acampamento. O presidente administrativo afirma que eles possuem um sonho, que é o de construir no local um Centro de Resgate da Cultura Cigana.

O subsecretário de Igualdade Racial Victor Nunes afirmou que em breve será lançado um Grupo de Trabalho para os Ciganos, o qual trabalhará para a criação de políticas públicas e lutará para a melhoria na infraestrutura do local, como a construção de uma cozinha comunitária e a criação do primeiro Centro de Cultura Cigana. Além disso, o Grupo também prevê a geração de trabalho e renda para eles.