Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/11/16 às 16h05 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Sedestmidh promove curso de atendimento à população LGBT

COMPARTILHAR

Cerca de 60 servidores das administrações regionais do Distrito Federal participaram do curso “Desconstruindo Preconceitos”, promovido pela Coordenação de Diversidade da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos (Sedestmidh) e a Administração do Cruzeiro e Sudoeste-Octogonal, na tarde desta sexta-feira (11), na Biblioteca Pública do Cruzeiro.

A Secretária-Adjunta da Mulher, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Raissa Rossiter, fez a abertura do evento e deu as boas-vindas aos curcistas. Ela reiterou que a pasta está disponível para as discussões de diversidade. “A Secretaria está à disposição da sociedade civil para debater cada vez mais essas questões e nosso compromisso é fazer um Distrito Federal igualitário e justo para todos”.

O objetivo da formação é preparar agentes públicos para o atendimento da população LGBT. Entre os temos abordados, estão os conceitos de gênero e orientação sexual, os avanços da luta LGBT ao longo dos anos como a legalização do casamento civil, adoção de crianças por casais homoafetivos e inclusão da companheira ou companheiro nos benefícios dos planos de saúde.

O curso foi ministrado pela assessora da Coordenação de Diversidade, Paula Benett, que liderou o debate em torno dos assuntos, desconhecidos de parte dos participantes. Um dos temas que proporcionou entendimento a muitas pessoas foi a diferença de conceitos entre gênero e orientação sexual. 
Paula explicou a diferença. “O gênero é o que eu sinto que sou, independente de haver nascido do sexo masculino ou feminino, é quando eu me olho no espelho e me identifico com aquilo que nasci ou não me identifico. Orientação sexual é para qual ser eu olho e sinto afetividade”.

O coordenador de Diversidade da Secretaria, Flavio Brebis participou do evento e destacou a importância de promover formação sobre as necessidades e demandas da comunidade LGBT. “A palavra desconstruindo significa reaprender, reaprender o respeito a qualquer pessoa e, como servidores, nós temos o dever de saber isso”.

O evento contou com a participação dos grupos da sociedade civil BastaHomofobia, Mães pela Diversidade e representantes da Universidade de Brasília.