Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/06/15 às 23h52 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Segunda-feira é dia de conscientização sobre a violência contra o idoso

COMPARTILHAR

Data foi instituída pela ONU. Secretaria participa de várias atividades que ocorrerão até o fim do mês

cartaz vertical destaqueBrasília (11/6/2015) – Na capital do país, boa parte dos idosos sofre maus-tratos. A edição mais recente do Mapa da Violência contra a Pessoa Idosa no Distrito Federal, divulgada no ano passado, com base em dados de 2013, revela um crescimento de 46% nas denúncias. Foram 3.052 casos contra 2.089 no ano anterior. Um aumento de 46%. Os dados de 2014 ainda estão em estudo. Proporcionalmente, segundo estatísticas do Disque 100, do governo federal, Brasília lidera o ranking nacional de denúncias, com 550,57 casos por 100 mil habitantes.  

Nesta segunda-feira, 15 de junho, será celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa (veja abaixo, no Saiba Mais). Para marcar a data, o governo de Brasília, por meio de várias secretarias, entre elas a de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Semidh), promoverá e apoiará uma série de eventos até o fim do mês para alertar a população sobre a gravidade desse problema.

A programação começa na segunda (15), às 14h, com palestra do professor Vicente de Paula Faleiros, no Fórum Sepúlveda Pertente, do Tribunal de Justiça do DF e Territórios, sobre os tipos de violência e estratégicas e prevenção. Também à tarde, no Centro de Referência de Assistência Social (Creas), na Ceilândia, serão realizadas várias atividades, desde roda de conversa até festa junina para os idosos.

Simpósio – A série de eventos termina nos dias 30 de junho e 1º de julho com um simpósio sobre enfrentamento à violência contra a pessoa idosa. O encontro, promovido pela Coordenação de Direitos da Pessoa Idosa (Codipi), da Semidh, reunirá gestores do governo, associações e grupos de pessoas idosas para discutir os serviços disponíveis e a qualidade do atendimento.

O simpósio, que ocorrerá no Memorial JK (primeiro dia) e Escola de Aperfeiçoamento de Profissionais da Educação (Eape), na 907 Sul, contará com palestras e oficinas e será realizado em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Polícia Civil, secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Humano e Social do DF e Conselho de Direitos do Idoso.

Os palestrantes vão apresentar os serviços disponíveis às pessoas idosas em situação de violência e o fluxo de atendimento. O objetivo é que os gestores possam dar encaminhamento aos casos de maneira mais ágil e eficaz e que a sociedade civil possa conhecer a rede, usufruir e ter um atendimento de melhor qualidade.

. Confira a programação completa do 15 de Junho

Mapa da Violência – Segundo o estudo, em 94% dos casos a violência ocorre no ambiente familiar, sendo que em 59,34% os agressores são os próprios filhos. As mulheres idosas representam 63,82% das vítimas, 36% delas na faixa entre 60 e 69 anos. Mas, ainda segundo o estudo, a violência também se manifesta de forma estrutural, expressa nas desigualdades sociais, e institucional, reproduzida na aplicação ou omissão na gestão das políticas sociais e nas relações assimétricas de poder.

Uma em cada três denúncias diz respeito à violência psicológica, que se manifesta nos casos de agressão verbal, ameaça e humilhação, entre outros. A negligência aparece em segundo lugar na distribuição dos tipos de violência (27,17%), seguida pela violência física (17%). Outros tipos de violências praticadas contra população idosa são a financeira, o abandono, a autonegligência e a sexual.

Os maiores números de casos de violência acontecem nas regiões mais populosas do DF: Ceilândia (18,20%), Brasília (11,13%) e Taguatinga (11,02%).

Codipi – Para desenvolver políticas públicas nessa área, a Semidh mantém o Programa de Enfrentamento à Violência contra o Idoso. O programa é gerido pela Coordenação de Promoção de Direitos de Pessoas Idosas e busca articular ações de combate e prevenção junto com outros órgãos do governo e da sociedade civil.

No início do mês, a Coordenação entregou certificados de conclusão de curso a 27 cuidadores de idosos que participaram de treinamento realizado em parceria com o Conselho de Direitos do Idoso do DF, Ministério da Saúde e BRB.

O curso durou dois meses e meio e teve 220 horas/aula, sendo 160 de teoria e 60 de atividades práticas em instituições de longa permanência para idosos. Foram repassados ensinamentos sobre 30 itens, desde aspectos sociodemográficos do envelhecimento a procedimentos que devem ser adotados no dia a dia no atendimento aos idosos.

No momento, a Codipi trabalha junto com a Companhia de Desenvolvimento do Planalto (Codeplan) no aperfeiçoamento do canal de denúncias de violência contra o idoso no DF, o disque 156 opção 8.

SAIBA MAIS

O Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa foi instituído em 2006 pela ONU e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa. O objetivo é criar uma consciência global a respeito da existência desse tipo de violência e não aceitá-la como normal. O envelhecimento é um fenômeno mundial. Só no Brasil, existem quase 20 milhões de pessoas idosas, ou 11% da população, segundo dados do IBGE. Em Brasília, de acordo com estudo da Codeplan, feito com base na Pesquisa por Amostra de Domicílios de 2011, a população idosa (pessoas com 60 anos ou mais) neste período somava pouco mais de 326 mil pessoas. Leia matéria e confira estudo na íntegra.

Ascom Semidh
3961-1782