Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/12/15 às 18h31 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Trabalho doméstico é tema de debate em filme e na Casa da Mulher Brasileira

COMPARTILHAR

Nesta 4ª feira, 2 de dezembro, a Secretaria de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, em parceria com a Rede de Proteção às Mulheres do Distrito Federal e Entorno, promoveu a exibição do filme Que horas ela volta, na Casa da Mulher Brasileira.

O filme de Anna Muylaert conta com atuações de Regina Casé e da atriz taguatinguense Camila Márdila, cuja atuação recebeu um prêmio especial do júri do festival de Sundance 2015, nos Estados Unidos. Premiado também no Festival de Berlim, Que horas ela volta representa o Brasil no Oscar 2016.

A subsecretária de política para as mulheres, Silvânia Matilde, destacou a importância do filme para se conversar sobre as questões que cercam o mundo dos patrões e das empregadas domésticas, como a necessidade de creches para a mulher que deixa de cuidar diretamente de seus filhos para cuidar das crianças da patroa.

Realizado em comemoração aos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres e à III Semana Nacional Justiça pela Paz em Casa, a sessão do Nossa Casa ConVida não se reduziu a cinema. 

Em homenagem às mulheres, houve canções ao violão, apresentação solo de dança de aluna da Universidade da Maturidade, número do coral dos cinquentões e uma mesa solene, composta por integrantes do Judiciário, do Ministério Público, da Delegacia da Mulher e da Rede de Proteção às Mulheres, que abordaram aspectos da Lei maria da penha e da construção de uma cultura da paz.

“Trabalhar pela paz até nas nossas relações profissionais e pessoais é um desafio”, disse a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Miriam Pondaag. Ela criticou a banalização da violência nas instituições sociais e ressaltou a importância do fortalecimento dos vínculos e do trabalho em rede para dar conta de desafios que ultrapassam a força dos atores individuais.