Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/03/18 às 18h20 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Um basta para a violência contra a mulher, a Casa da Mulher Brasileira

COMPARTILHAR

Um local de Acolhimento e Triagem para encaminhamentos à uma Delegacia Especializada e, ao lado de Juizes, Defensores Públicos e Promotores. Oferece apoio Psicossocial, Atenção especial, ministra cursos de capacitação para que a mulher adquira a autonomia financeira à fim de que não volte à situação
volte à situação que deixou para trás, a violência doméstica.

O Pronatec Mulheres 1.000 organiza cursos profissionalizantes e é um outro serviço oferecido mediante uma parceria entre as secretarias de Educação e a Sedestmidh.

 

O transporte é gratuito. Diariamente, uma Van com capacidade para 12 pessoas sai da rodoviária e repete o trajeto até o último horário de atendimento.

 

Esse espaço que integra um atendimento humanizado, com diversidade de serviços de qualidade sem ônus para a Mulher chama-se, Casa da Mulher Brasileira, faz parte do Programa Brasília Cidadã do Governo do Distrito Federal.

 

 

                            

Alojamento para as mulheres e os filhos                                                    Área interna

 

 

A Casa da Mulher Brasileira é o endereço indicado para quem está em vulnerabilidade viver sem violência e retornar ao seu cotidiano, livre de agressões. Atende de segunda à sexta-feira das 7h às 19h.

 

Existem várias unidades no país. E quatro em funcionamento, sendo, uma em Campo Grande- Mato Grosso do Sul- Curitiba e São Luis. Brasília, foi a segunda a entrar em operação.

Esse trabalho faz parte do Programa , Mulher Viver sem Violência, da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres, e é administrado aqui, pela Secretaria de Estado da Mulher com recursos da União.

 

No ano passado, foram oferecidos todos esses serviços na CMB à 3.353 mulheres e, neste ano, até agora foram registrados 524 atendimentos. Enquanto as mães são ouvidas, os filhos aguardam na brinquedoteca onde brincam e recebem as refeições.

 

“Os últimos registros de ocorrências indicam que 22% das denúncias referiam-se a casos antigos de violência, o que demonstra que as mulheres estão sendo encorajadas e empoderadas”, afirmou Joana Mello, secretária Adjunta da Mulher. Em 2015, os demais equipamentos de Atendimento à Mulheres registraram 19.119 casos de violência doméstica. Em 2016, foram 18.402 casos e no ano passado, 22.470 ocorrências.

 

Hoje,(23), dentro da programação do Mês da Mulher, um grupo de 10 advogados foi conhecer as instalações da Casa de Brasília e todos os serviços que são oferecidos à mulher . O grupo foi recepcionado por Ilda Peliz, secretária da Sedestmidh- secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Igualdade Racial e Mulheres- e por Joana Mello, secretária Adjunta de Políticas para Mulheres, que aprentaram o projeto.

 

A gestora , Margareth Teixeira, organizou uma visita guiada por todos os equipamentos que traduzem o cotidiano, também do trabalho de advogados.

 

Visita de advogados à Casa da Mulher Brasileira

 

“Viemos conhecer esta casa e trouxemos os nossos colaboradores para que tomem consciência da importância deste trabalho global. A forma como recebem, acolhem , emocionalmente, com as atenções jurídicas e o acolhimento aos filhos. Estamos muito surpresos pelos governos, federal e do DF, oferecerem estes serviços. O trabalho prestado é excepcional”, comentou a advogada, Cristiane Romano, diretora do Escritório de Advocacia Machado Meyer, que liderou o grupo de visitantes.

 

A Casa da Mulher Brasileira fica na L2 Norte, SGAN 601-Lote J, atrás do Serpro. Atende de segunda à sexta-feira, das 7h às 19h.

Os casos de violência devem ser denunciados pelo 156-opção 6 ou pelo número 180

As visitas guiadas podem ser agendadas, previamente, por telefone ou e-mail casadamulher@sedestmidh.df.gov.br

Saiba mais sobre o funcionamento da CMB: 3226-5024/3224-5295

 

Veja mais informações sobre a atuação da pasta de Políticas para as Mulheres no site.

 

Por: Claudia Miani