Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/04/14 às 19h26 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Vítimas de violência doméstica são acompanhadas pela PM

COMPARTILHAR

Ação reforça trabalho já desenvolvido pela Secretaria da Mulher

Famílias de Taguatinga que passam por problemas de violência doméstica contam com o auxílio da Polícia Militar para a resolução dos conflitos. O programa, chamado “Educação para a Cidadania e Segurança” (Educs), é coordenado na cidade pelo 2º Batalhão da PM e consiste em policiamento, fiscalização e acompanhamento dos agressores e das vítimas.

“Vamos nessas casas onde ocorreram a violência para saber dos envolvidos porque ela começou, o que é possível fazer para cessar a violência e para que não chegue a estágios mais avançados. Se preciso for, voltamos com frequência para fiscalizar o agressor e, se for o caso, mantê-lo longe”, explicou o gestor do projeto no 2º Batalhão, sargento Sérgio Alves.

Valesca Leão, secretária da Mulher do DF, avalia que a iniciativa reforça a ampla participação do Estado em defender e proteger as mulheres vítimas de violência. “Com este trabalho desenvolvido pela Polícia Militar, investimos na humanização do atendimento às vítimas e, principalmente, na reeducação dos agressores”, resume a secretária.

Ela ainda lembra que o programa se soma ao trabalho realizado nos Núcleos de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica (Nafavd), cujo objetivo oferecer acompanhamento psicossocial às famílias em situação de violência doméstica encaminhadas pela Casa Abrigo, Juizados Especiais Criminais e Varas de Violência Doméstica do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), além do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT).

O Educs está disponível para toda a população de Taguatinga e é desenvolvido com base em ocorrências feitas na delegacia ou pela central 190. A partir do registro, policiais da corporação passam a fazer visitas constantes às famílias. 

Estatísticas – Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do DF apontam que no período de janeiro a fevereiro de 2012 e 2013, Taguatinga apareceu em terceiro lugar das regiões administrativas com maior incidência de violência doméstica.

O Educs conta com o apoio da Administração Regional de Taguatinga, Conselhos Tutelares, Promotorias, Central de Atendimento à Mulher, CRAS, regionais de ensino, Secretaria de Justiça – por meio do Pró-Vítima -, além de entidades não-governamentais.

“A violência não está só nas ruas, muitas vezes ela começa dentro de casa, por isso a importância deste projeto de combate à violência doméstica e a educação acima de tudo”, destacou o administrador de Taguatinga, Marco Aurélio Bessa.

Com informações da Agência Brasília