Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/08/21 às 16h51 - Atualizado em 27/08/21 às 19h34

GDF se une para levar serviços públicos à comunidade rural

COMPARTILHAR

O “Ação Mulher no Campo” estará no Núcleo Rural Ponte Alta, no Gama, nesta sexta-feira.

 

Rosimeire Oliveira exibe suas telas pintadas em tinta a óleo. Tem o cuidado de cobri-las com papel filme para que a poeira do cerrado não tinja de vermelho o seu trabalho. Com ela, outras artesãs aproveitam o “Ação Mulher no Campo” na Fazenda Larga, para vender seus artesanatos e delícias gastronômicas. “Essa é uma oportunidade de mostrarmos o talento de nossas mulheres e também de elas venderem seus produtos. Ações como reforçam o potencial de cada uma delas”, diz a pintora que mora na zona rural de Planaltina, que também é uma das idealizados do grupo “Mulheres em Campo”, justamente para fortalecer o empreendedorismo das artistas da região. Amanhã, é a vez de a ação estar presente do Núcleo Rural Ponte Alta, no Gama.

 

Uma das propostas da “Ação Mulher no Campo” é justamente dar visibilidade e incentivar que as mulheres que vivem em área rural para que elas tenham condições de gerar renda sem sair de casa. Além disso, o projeto encabeçado pela Secretaria da Mulher (SMDF) une os esforços de diversos órgãos do Governo do Distrito Federal, e também dos parceiros não governamentais, com o objetivo de levar os serviços públicos até à zona rural, a locais onde as mulheres e suas famílias muitas vezes têm dificuldade de acesso.

 

“Essa ação nasceu da necessidade de agirmos como governo e darmos visibilidade à mulheres do campo. Entendemos que se na cidade há dificuldade de acesso a serviços e a políticas públicas, imagina no campo. A união de diversas secretarias e órgãos do governo para levar serviços à zona rural mostra a integração do governo Ibaneis para oferecer um cuidado especial a essas mulheres guerreiras, que estão à frente do frente do agronegócio, da agricultura familiar e que vivem nas comunidades rurais do DF”, reforça a secretária da Mulher, Ericka Filippelli.

 

Amanhã, 27 de agosto, o projeto visita a comunidade de Ponte Alta, no Gama e, além da Secretaria da Mulher, conta com a participação das secretarias de Desenvolvimento Social; de Saúde; do Trabalho; de Segurança Pública; de Turismo; de Justiça; de Transporte e Mobilidade; de Educação; além da Emater; da Defesa Civil; do DER; e com o apoio da Polícia Militar do Distrito Federal; da Caesb; da Administração Regional do Gama; da Associação dos Moradores e Produtores da Ponte Alta (AMPPA).

 

Entre os serviços oferecidos estão as rodas de conversas promovidas pela SMDF, durante as quais serão abordados temas como direitos das mulheres, prevenção à violência de gênero, além da promoção da saúde feminina. As interessadas ainda poderão se cadastrar nos cursos de capacitação oferecidos pela secretaria.

 

A comunidade local também poderá fazer inscrições no Cadastro Único, da Sedes, no Programa Prospera, da Setrab e ainda aproveitar a oportunidade para solicitar a emissão da carteira de artesão pela Setur.

 

 A Secretaria de Saúde irá promover diversas ações voltadas à prevenção e ao cuidado com a saúde da mulher e irá fazer o agendamento de exames citopatológicos e de consultas médicas, além de oferecer vacinação contra influenza e aferição de pressão.

 

Técnicos da Emater estarão presentes para oferecer orientações a respeito das práticas rurais; a Defesa Civil irá distribuir cobertores, e as crianças poderão se divertir no espaço lúdico ou nas oficinas de pinturas, organizados pela Secretaria de Segurança Pública (confira a programação completa no quadro).

 

 

Itinerantes

 

Desde junho, o “Ação Mulher no Campo” já marcou presença no acampamento Marielle Franco e em Capão Cumprido e Pinheiral, São Sebastião; na Colônia Agrícola 26 de setembro, Estrutural; no Acampamento Miguel Lobato, Planaltina; no assentamento Chapadinha, Lago Oeste Sobradinho; no assentamento Oziel Alves e na   Comunidade Rural Fazenda Larga, Planaltina. Ao todo, já foram oferecidos mais de 3 mil atendimentos durante as ações.

 

A Secretária da Mulher, Ericka Filippelli, lembra que o projeto nasceu como demanda do Fórum Distrital Permanente da Mulheres do Campo e do Cerrado, um órgão colegiado, de caráter consultivo e vinculado à SMDF.

 

Ele é composto por mulheres representantes de diversos grupos minoritários, como quilombolas, indígenas, mulheres rurais, ciganas, entre outras, e por membros dos órgãos do governo do Distrito Federal. Juntos, eles têm a missão de se reunir para debater propostas de políticas voltadas à promoção da saúde, dos direitos e da autonomia econômica das mulheres do DF.

 

Entre as demandas apresentadas pelas participantes do Fórum, uma delas é justamente facilitar o acesso das mulheres que vivem na zona rural aos serviços públicos, bem como dar visibilidade ao trabalho e às necessidades específicas delas.

 

“Antes, a gente era esquecida, tanto como mulher, como moradora da área rural. Agora, com o Fórum, temos reuniões mensais, levamos as demandas das outras companheiras e participamos da elaboração das políticas públicas que são voltadas para nossa realidade. Antes, essas decisões vinham de cima pra baixo. Elaboravam uma política e não sabia se servia para a gente. Hoje, temos o Fórum que nos dá voz”, alegra-se Edna Borges Correia, moradora do campo e uma das integrantes desse grupo.

Tem mais novidade a caminho

Para reforçar a prioridade do governo Ibaneis em atender as prioridades apontadas pelas moradoras da zona rural, a Secretaria da Mulher e a Emater acabam de assinar uma portaria conjunta, no âmbito da Rede Sou Mais Mulher, em que se estabelece um acordo de cooperação mútua para  oferecer às mulheres rurais, entre outras ações, rodas de conversa, cursos, oficinas e/ou programas de ambientação, abordando temas como: “Igualdade de gênero”; “A importância da mulher no mercado de trabalho”; “Direitos da mulher”; “Combate à violência contra as mulheres”; “Empreendedorismo feminino” e “A questão geracional para as mulheres”.

 

“Essa parceria vai dar maiores condições para implementação de ações no que diz respeito à violência doméstica, à promoção da autonomia econômica e programas de igualdade de gênero. A gente acredita que essa união é muito importante para chegarmos até as pessoas que mais precisam”, ressaltou a presidente da Emater, Denise Fonseca.

 

ANOTE NA AGENDA

 

“Ação Mulher do Campo”

Dia 27 de agosto

Hora: 9h às 15h

Local: AMPPA: Rodovia DF 180, Km 32, 1MD06 Núcleo Rural Ponte Alta, CEP 72.457-994

Confira a programação completa e participe da ação em Ponte Alta:

  • Unidade Móvel da Secretaria da Mulher

Roda de conversa sobre direitos das mulheres, prevenção à violência e promoção à saúde da mulher; além de abordagem psicossocial e cadastramento os para cursos de capacitação da SMDF;

 

  • Ouvidoria SMDF

Escuta da comunidade.

  • Secretaria de Turismo

Avaliação do artesanato para emissão da carteira de artesã; capacitação e consultoria para aprimorar os produtos.

  • Secretaria do Trabalho

Cadastramento para emprego e para o Programa Prospera.

  • Emater

 Informações e orientações dos técnicos da Emater.

  • Secretaria de Desenvolvimento Social

Orientações sobre Cad Único e isenção para emissão de RG.

  • Secretaria de Segurança

Oficinas de pintura para mulheres e meninas e espaço recreativo para crianças.

  • Polícia Civil

Agendamento para emissão da carteira de identidade

  • Defesa Civil

Entrega de cobertores e orientações à população.

 

  • Secretaria de Saúde

 Orientação Nutricional; aplicação de vacina contra H1N1 e teste rápidos para HIV, HCV, HCB, sífilis.

  • Provid PMDF

Orientações sobre violência.

 

  • DER

Transitolândia: distribuição de cartilhas educativas sobre o trânsito para crianças.

  • Administração Regional do Gama

Cadastramento para cesta básica.

  • Serviço Social do Comércio (SESC)

Oficina de comunicação não violenta para crianças, adolescentes e adultos; oficina de pintura para crianças; oficina de direitos sociais. Atendimento nutricional e clínico e orientações sobre amamentação

  • Sejus

Informações sobre os programas desenvolvidos da Sejus e pelo Conselho Tutelar para atendimento e mapeamento.

  • Semob

Transporte para comunidade local.

  • Senar-DF

Orientações e informações sobre cursos.