Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/05/21 às 17h25 - Atualizado em 12/05/21 às 17h27

Parceria entre Sedes e Secretaria da Mulher vai agilizar o atendimento às mulheres vítimas de violência

A partir de agora, o Sistema Integrado de Desenvolvimento Social (Sids) será também uma ferramenta para aprimorar o atendimento às mulheres vítimas de violência no Distrito Federal. Uma portaria conjunta assinada nesta quarta-feira (12) pelas Secretarias de Desenvolvimento Social (Sedes) e pela Secretaria da Mulher (SMDF) autoriza o uso dos dados do sistema criado pela Sedes para a gestão dos serviços da Assistência Social para oferecer um apoio mais adequado a cada necessidade.

 

O Sids é utilizado como um prontuário eletrônico com dados da família, histórico de atendimento do usuário e situação de vulnerabilidade para acompanhamento e concessão de benefícios sociais. Com a assinatura da portaria, a Secretaria da Mulher, agora, também terá acesso a essas informações durante os atendimentos.

 

“A mulher procura o equipamento público já muito fragilizada pela própria situação de violência. Essa integração, além de agilizar esse atendimento porque os profissionais já terão acesso ao prontuário da vítima, vai permitir também um suporte personalizado, de acordo com as necessidades daquela mulher”, pontua a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

 

A portaria deixa claro que os dados identificados e disponibilizados de pessoas inscritas no Sids continuam tendo caráter sigiloso, sendo vedado o uso para outras finalidades e entes públicos. As informações serão utilizadas apenas para atendimento e fortalecimento da rede de proteção social.

 

“Essa parceria com a Sedes vai melhorar muitos os nossos serviços, qualificar o atendimento à mulher vítima de violência. Vai ser muito importante porque os nossos dados, hoje, não estão informatizados. Por isso, faço um agradecimento especial”, comemora a secretária da mulher Ericka Filippelli.

Casa da Mulher Brasileira

Além da integração do Sids, também está em estudo a possível instalação de um ponto de apoio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas) na nova unidade da Casa da Mulher Brasileira no Distrito Federal.

 

A Casa da Mulher Brasileira integra, no mesmo espaço, serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres: acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, Juizado, Ministério Público, Defensoria Pública, promoção da autonomia econômica e cuidados para os filhos.

 

Atualmente, após denúncia formalizada nas Delegacias de Polícia, ou na própria Delegacia da Mulher, as mulheres que precisam de atendimento ou acolhimento, após atendimento de um psicólogo, são encaminhadas para os serviços prestados nos equipamentos da rede integrada de atendimento à mulher.

 

Segundo Ericka Filippelli, essa aproximação das unidades vai permitir que as mulheres vítimas de violência sejam atendidas por uma equipe socioassistencial no próprio local, já que, a maioria delas, são mulheres sem renda e em risco social.

 

“Muitas mulheres que chegam aos nossos serviços precisam de benefícios sociais e não têm Cadastro Único. Essa proximidade vai facilitar muito a inserção dessas mulheres vítimas de violência na rede de proteção social. Dá uma sensação maior de segurança para essa mulher ter esse atendimento das equipes socioassistenciais dentro da unidade”, conclui a secretária.